sábado, 24 de fevereiro de 2018

Vasco Espinheira Gomes dos (Blind Zero) teve Contacto Imediato de Primeiro Grau e as suas fotos provam o que revelou ao UFO Portugal Network

Segue o relato e testemunho de Vasco Espinheira dos Blind Zero, para com o Ufo Portugal Network, a fim de obter um esclarecimento para algo que observou durante o seu voo de Copenhaga 01:25pm para Estocolmo 2:35pm no ano 2014.

Segue o relato do próprio Vasco Espinheira

"Eu vou tentar descrever por aqui o ocorrido.
Envio-lhe algumas fotos anteriores e posteriores ao avistamento talvez lhe sirva de alguma coisa.

O meu voo era da SAS partindo de Copenhaga para Estocolmo.
Estava à janela tirando umas fotos para passar o tempo presumo que já um bom tempo passado depois de levantar voo (pela hora da foto e com o bilhete devo ser fácil de saber).
Vejo algo a reflectir brilho, á minha frente (lado direito do avião) e a viajar mais a baixo que o avião.
O objecto mantém sempre na mesma velocidade e mesma direção.
Inicialmente são os brilhos reflexo do sol em "chapa prateada" que me chama a atenção.
Como estou a olhar da janela, presumo que o objecto brilhante é um avião de passageiro que está de "frente" em relação a mim e á medida que este se aproxima, consigo ver que é algo muito mais pequeno, e do género de um jato privado.
Quando ganho ângulo lateral ainda um pouco á minha frente reparo que algo está errado pois não consigo ver asas.

Esquerda foto original - Direita foto com filtro

Histórico fotográfico
Quando está paralelo a mim, mas num plano inferior (presumo que uns 500m abaixo de mim e a uns 800 metros de distancia), reparo que ele não tem definitivamente asas, é uma superfície estranhamente homogénea.
O suposto cockpit não existe, asas tb não, janelas tb não, logos tb não, e o inicio do objecto é exactamente igual ao fim.
Por uma fração de segundos penso num míssil mas o inicio é arredondado assim como o fim, logo não tem nenhum sistema de propulsão visível.
É um cilindro talvez do tamanho de um jato particular, que presumo que terá uns 10 a 20 metros.
A forma é como se vê na foto parece um cilindro arredondado com extremidades aparentemente indiferenciaveis, absolutamente liso, logo, Imagine que este objecto é feito de mercúrio (por ser liso e pela cor) ou chapa polida e que reflete pequenos brilhos solares á medida que se move.
A distancia quando está mesmo paralelo ao meu avião é suficientemente próxima para ver simples  detalhes (asas, janelas, logos) se por acaso fosse um jato particular.
A foto ocorre quando este ultrapassa o avião.
Confesso que foi tanta informação em  menos de 15 a 20 segundos que nem tive tempo de reagir.


O que observei estava obviamente muito mais próximo do que o que está na foto.
A foto foi tirada com um iphone 5 sem qualquer ampliação, logo fica muito reduzida em relação á realidade.
A velocidade é extremamente complicado de lhe explicar mas pareceu-me próxima á de dois aviões quando passam um pelo outro.

Mais uma vez obrigado pela sua vontade de me ajudar a identificar o objecto".

Ufo Portugal

Segundo o Ufo Portugal pode apurar o histórico fotográfico coincide com a documentação de vôo do Vasco, porem será de anotar a ausência de asas no objecto como podemos constatar na imagem e referenciado pelo Vasco o que faz o contexto deste relato.
Não conseguimos elaborar o rastreio da aeronave de forma a definir se houve ou não um cruzamento entre duas aeronaves!
"Algo que ainda estamos a trabalhar nesse sentido"

A silhueta do objecto não nos passa despercebida e de facto nos deixa intrigados com este registo nada normal, se assim o demos dizer.

Um especial agradecimento ao Vasco Espinheira pela sua coragem ao nos reportar esta sua observação.
Este acontecimento chamou atenção do Vasco, após a celebre notícia de Rita Redshões, no jornal público em 2015,que o levou em consideração para esta sua observação.

Para os amigos internacionais tomamos a liberdade de deixar um vídeo dos Blind Zero.


Tomara outras personalidades tomem a mesma coragem e nos reportem estas observações.

ufo_portugal@sapo.pt

Obrigado Vasco

Piloto e investigador aéreo apresentará publicação que questiona a existência de seres extraterrestres

Rodrigo Bravo é o comandante do pelotão da aviação do Exército chileno e desde 2000 investiga casos relacionados à questão do OVNI no país. 
Entre os estudos realizados, estão os relatórios e os áudios das aeronaves fornecidos pelo Comitê para o estudo de fenômenos aéreos anômalos (Cefaa), do qual é colaborador. 

A partir desses registos, o escritor autodidacta foi introduzido na escrita do primeiro volume deste livro chamado; "Os alienígenas morreram.
O mito do UFO-ET, do contacto e dos sequestros ", que busca questionar a existência de visitantes de outros planetas.

Nesse sentido, o autor afirmou: "Minha posição é bastante céptica, sou um pensador crítico, isto é, estou claro que os chamados OVNIs ou fenômenos anômalos existem e, provavelmente, há vida no universo em qualquer uma das suas formas .
A questão é que aqui foi criado um mito moderno indissolúvel de OVNIs com o conceito de extraterrestre ".

Águas separadas

Por outro lado, neste livro, o autor faz a precisão de que as chamadas abduções, ou pessoas que dizem ter sido contactadas por alienígenas, consideram que pertencem a fenômenos psicossociais e não físicos. 
Neste sentido, Bravo disse que "aqui devemos separar o que é o mito moderno com a fenomenologia real e este livro precisamente, após cinco anos de trabalho, aponta para essa separação".
Entre outros tópicos relacionados que funcionam "Os alienígenas morreram", é a influência dos Estados Unidos na alimentação do mito OVNI que tem distorcido a explicação sobre os fenômenos anormais que podem ser vistos no céu. 


"Neste livro, explico em detalhes que os Estados Unidos são um país que cria elementos e coisas intimamente ligadas à sua política interna e externa.
Nesse sentido, a década de 90 foi o boom dos abduções, e se alguém analisasse a história americana, esse país sempre precisou ter algum tipo de adversário ou inimigo externo por uma questão de segurança nacional ", diz o autor nascido em Santiago, mas que se instalou em Magallanes há vários anos.

"Nova religião"

Por outro lado, o piloto de aviação do Exército também indicou que a questão dos OVNIs tornou-se uma espécie de nova religião.
Nesse sentido, propôs que esse mito viesse a cobrir a necessidade de uma divindade criativa num momento em que o questionamento das religiões a um nível global é muito alto, então assegura que foi perfeito e é por isso que algumas pessoas pensam que fomos intervenidas como espécies ou nós somos de oriundos de alienígenas.

Quando o autor foi consultado sobre os fenômenos OVNI que ocorrem recebtemente na área de Magallanes, Bravo indicou que "isso mostra que existem fenômenos aéreos não identificados, mas fenomenologicamente são manifestações que não possuem explicação racional ou científica para justificá-la ou compreendê-la. "
Além das perguntas e confrontações que lhe custaram escrever este livro, o autor afirmou que, com esta publicação, pretende comunicar o que conseguiu conhecer ou descobrir depois de vários anos de estudo e várias outras leituras. 

"Este trabalho tem cinquenta e três livros de referência que foram lidos para chegar a uma conclusão mais concreta, então a minha idéia é também gerar um espaço de debate, pois hoje em dia a ufologia se baseia mais nas crenças do que na evidência" , concluiu.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Se observou algo de extraordinário, não deixe de reportar a sua observação, fotos ou vídeo para: ufo_portugal@sapo.pt

Um pouco de ovnilogia com Paulo Jorge Cosmelli


Um Olhar Aguçado sobre os OVNIs

Este é o espaço do Paulo Cosmelli, consultor da UFO e criador do Centro Europeu e Brasileiro de Investigação UFO (Cebiufo) para estudar a fenomenologia ufológica cruzando ciência com esoterismo, e incluindo o conhecimento de escolas iniciáticas.

Como se pode ver, é parte da Serra de Sintra ou Monte-da-Lua e muito proximo da Ericeira, onde no meu último trabalho descrevo um relato OVNI e seres vindos do mar, além de visões de ondas gigantes. Como já citei nesse trabalho, há inúmeros avistamentos OVNI, OSNI (Objecto Submarino Não Identificado) e de criaturas estranhas. Não há dúvidas desta zona ser um dos “Hot-Spot” (local com grande número de avistamentos OVNI) de Portugal.

Está no texto acima escrito, que Alenquer foi apontada como o presumível local da Cidade Santa ou Capital do V Império.
O Conselho de Alenquer é parte integrante do Montejunto. Aí temos os melhores, os mais estudados e dos mais credíveis relatos de observação OVNI.
Paulo Cosmelli
O célebre relato do Comandante Júlio Guerra (então Tenente Piloto-Aviador e Instructor da Força Aérea Portuguesa) durante um voo de treino, viu um OVNI de forma circular por mais de 20 minutos. O mesmo OVNI subiu subitamente para 1500m de altutude (altura em que se encontrava a aeronave do Tenente Júlio Guerra).
“Tratava-se de um objecto que parecia uma grande «bolha de mercúrio» constituída por dois hemisférios, sendo o inferior de cor avermelhada, metálica e brilhante.
Na junção dos dois hemisférios, e no sentido equatorial, tinha uma espécie de protuberâncias.
Teria cerca de dois metros de diâmetro real”.
Houve evoluções e acelarações incríveis por parte do OVNI. Feitos os cálculos, o OVNI deslocou-se a uma velocidade média superior aos 2.500Km/h.

Foram testemunhas os então Alferes Carlos Garçês e António Gomes, dado que ao ouvirem o relato via rádio, dirigiram-se com o seu avião para o local e observaram o OVNI e suas evoluções.
Por incrível que pareça, o Tenente apontou o nariz do seu avião em rota de colisão com o OVNI para ver a reação deste.
Antes de se dar a inevitável colisão, o OVNI desviou-se rápidamente.
Depois de tentar interceptar o OVNI, este descreveu uma curva a grande velocidade para sudoeste, perdendo-se da vista dos três pilotos. Ficou bem mostrada a coragem deste piloto.
O incidente passou-se a 2 de Novembro de 1982, entre as 10h50mn e as 11h15mn. Os aviões sairam da Base Aérea da Ota.
Também no mesmo local, onde se encontra uma das mais importantes instalações militares de Radar, tiveram lugar manifestações dentro e fora da Base, descritas por Heitor Morais, então militar de serviço aos radares.
Heitor Morais relata desde um contacto de 3º Grau nessa Base, até registos nos radares de avistamentos que ficaram na história, como o de uma Esquadrilha de quatro caças F-84G que vinham de Córdova (Espanha) para a Base aérea da Ota em Portugal, a 4 de Setembro de 1957 num voo noturno de rotina e que o então Capitão Lemos Ferreira ia a comandar.
A 8.500m de altitude, viram uma esfera que reduziu de tamanho umas 20 ou 30 vezes, ficando num ponto. Pouco depois, observaram uma forma semelhante a um dedo na vertical, ligeiramente curvado de côr amarelo-avermelhada, que passou à esquerda da esquadrilha.
Dois pontos luminosos destacaram-se do objecto em forma de dedo e juntaram-se mais dois, prefazendo quatro. Tinham forma esférica e as suas posições variavam. Tudo isto durou entre 25 a 30 minutos.
De repente, esses objectos foram em direcção a eles. Cada um dos pilotos tentou afastar-se dos outros e “não colidiram por acaso. Quando «puxei» para cima e para a esquerda já nada vi”, recorda o General.
 À chegada, todos os quatro pilotos foram autorizados a fazer um relatório do sucedido, tendo o Capitão Lemos Ferreira feito questão desse relatório ser assinado pelos quatro.
 Este caso é acompanhado de uma descoberta posterior: dois Oficiais que caçavam nas imediações da Base da Ota nessa noite, afirmam ter visto umas luzes estranhas para os lados de Coruche (local onde se deu o incidente).

O Instituto  Geofísico de Coimbra, registou grandes alterações no campo magnético terrestre nas horas desta observação nocturna. Esse Capitão chegou a General e foi Chefe-do-Estado-Maior das Forças-Armadas.
Para se estudar esta fenomenologia, não nos devemos limitar aos relatos ou incidentes. Tem de haver um estudo dos locais, da história dos mesmos e investigarmos o que pode ou não estar “escondido” à frente do nosso nariz.
 Será “por acaso” que nestes locais existem templos Pagãos, em que por cima destes, a Igreja Católica Apostólica Romana construiu os templos como aconteceu em Sintra e Mafra?
Tenho a certeza que o Vaticano tem muitas respostas para o fenómeno OVNI e seus “Hot-Spots”. Pena é que os Arquivos Secretos do Vaticano, de outros Governos Europeus e do resto do Mundo, não estejam ainda abertos.
Fátima continua como “um continente por descobrir”.
Até na observação da planta arquitectónica do Mosteiro da Batalha que é perto de Fátima (e de construção puramente Maçónica), podemos vêr que tem o feitio de uma chave orientada para Fátima.

Consultem:  http://www.360portugal.com/Distritos.QTVR/Leiria.VR/Patrimonio/Batalha/

Batalha e São Jorge ( localidades que estão a 3Km de distância) é outro “Hot-Spot”. Mesmo hot (quente).
Até na sua história, mas essa... vou deixar para outro trabalho.
O homem contemporâneo pensa sempre ser mais avançado do que aqueles «atrasados dos tempos antigos».
Esta ilusão da nossa sabedoria, além de ser errónea, serve para obscurecer os grandes feitos do passado.
Questionem-se apenas: será que foi fácil inventar a Matemática e a Álgebra? Não foi. Mas já foram inventadas há milénios.
Por exemplo, a fórmula para encontrar a área de um triângulo já era conhecida 200 anos antes de Cristo.
Qual de nós a conseguiria inventar?
Será que sempre tivemos contacto com alguém que tenha um conhecimento muito para além daquele que pensamos ter?

Em Portugal só existe o Grupo de Pesquisa do CTEC (Centro Transdisciplinar de Estudos de Consciência) da Universidade Fernando Pessoa, que está à altura e com meios, pelo menos mínimos, para levar a cabo um trabalho de Investigação digno e honesto, que se tem pautado pela excelência dos seus resultados a actividades.
Não por acaso, esse departamento foi criado pelo Prof. Dr. Joaquim Fernandes. Este Homem tem dedicado a sua vida à busca da Verdade e conseguiu um merecido reconhecimento Internacional do seu trabalho.
Não existe mais nenhuma Organização ou Centro que vá mais longe, do que recolher relatos e julgar “académicamente” os casos que lhes chegam sem fazer um entrusamento com os vários campos da ciência.
Também existe a SPO, APO etc. que têm feito com que a ovnilogia continue a ser falada.
É de lastimar que certos grupos de investigação OVNI, nem sequer acreditem nos factos que são postos à sua frente. Têm feito o primeiro trabalho:recolha de dados. A partir daí, surge o mêdo de cairem no ridículo desacreditando muitas das vezes este campo de trabalho.
Em casos maiores, nem se mexem.

Por isso entendi que é necessária a criação de  um centro de investigação mais aprofundado dentro desta área aproveitando a inevitável ligação Portugal-Brasil, através da revista UFO e da sua experiente, exímia e idónea equipe de trabalho. Daí surgiu-me a ideia da criação da CEBIUFO (Centro Europeu e Brasileiro de Investigação UFO).
Têm sido uma Grande lição que a Equipe da UFO tem dado ao Mundo: não se deixarem condicionar por nada nem por ninguém.

Conseguiram o impensável quando tantos se riam: a desclassificação de grande parte da documentação militar sobre a ovnilogia. Juntos e com a ajuda de Todos, vamos pedir o mesmo: desclassificação da documentação OVNI em Portugal e pelo resto da Europa.

Paulo Cosmelli

(Conselheiro Editorial da Revista UFO)

(Presidente da CEBIUFO)

(Membro UFO Portugal Network)

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

OVNI REGISTADO EM MATOSINHOS A 26 DE JULHO DE 2005 - 13 ANOS DE MISTÉRIO SEM RESPOSTA PARA TAL OBSERVAÇÃO EM TERRITÓRIO PORTUGUÊS

Incidente ainda bem latente na memória de muitos portuguêseªs que acompanharam de perto as notícias sobre um avistamento anómalo na praia de Matosinhos no ano 2005.

13 anos de mistério que desbravou a curiosidade do público e especialistas no assunto sobre o fenómeno ovni em Portugal.
O Ufo Portugal Network, volta a trazer este tema ao cimo de forma a imortalizar este acontecimento fenomenal de grande importância, levantado no respectivo ano dos acontecimentos pelo: GPPOVNIS & CTEC.

Para o público exterior este assunto "história" continua por ser desbravada, como também para os mais novos.

O "O.V.N.I." da Praia da Agudela

O Mar estava chão... mas continuam altas as "ondas" do inesperado...
Quando a minha mulher regressou do trabalho, na passada terça-feira 26 de Julho, a primeira pergunta que me fez foi se tinha conhecimento da notícia veiculada pela TVI dando conta de que um ovni tinha sido visto na praia da Agudela.
Não tivera conhecimento mas no noticiário das 20 horas, fui brindado com a reposição da mesma reportagem da TVI.

Na breve entrevista que foi feita ao único protagonista deste insólito acontecimento, Sr. Manuel Ramos (um conhecido pintor de artes plásticas radicado naquela localidade), fiquei a saber o que lhe aconteceu na noite de quinta-feira dia 21 de Abril, cerca das 22, 45 horas, quando caminhava solitariamente pelo extenso areal daquela praia, acompanhado dos seus três cães.


O Sr. Manuel Ramos tem uma relação muito especial com os seus cães e aquele passeio àquela hora pelo areal era já uma espécie de rotina diária.
Nessa noite não havia mesmo mais ninguém por perto.
A determinada altura reparou que os cães ficaram muito assustados e um deles começou a latir. Quando tentava perceber o que se passava com eles e ao olhar na direcção do mar viu algo muito estranho que o apanhou completamente desprevenido.
Ele só se recorda que havia uma espécie de cubo ou placa quadrada cuja textura aparente lhe fez lembrar mármore de cor amarelada e que não emitia luz.
Aquilo estava como que flutuando na horizontal por cima da linha da areia.
Mas a surpresa não ficara por ali - logo a seguir recorda-se que a mesma placa começou a levantar-se do lado mais afastado até ficar totalmente na posição vertical.
Depois só se recorda de uma final e enorme explosão de luz branca.
Também fiquei a saber que o Sr. Manuel Ramos perdera a noção do tempo e quando conseguiu de certo modo recuperar do tremendo choque que aquilo lhe provocara é que reparou que no seu telemóvel existiam três fotos relacionadas com aquele insólito evento.
Não tinha, porém, qualquer explicação para a existência daquelas fotos já que não se recordava de as ter efectuado.
A TVI mostrou também essas 3 fotos cujo registo horário revelara um espaçamento de um minuto entre elas.


A primeira foto mostrava o tal quadrado, A segunda a explosão de luz e a terceira mostrava alguns prédios do lado nascente.
Também fiquei a saber que o Sr. Manuel Ramos e alguns seus amigos tinham já contactado a Força Aérea Portuguesa, outros Órgãos da Comunicação Social para além doutras entidades.
Como colaboro com o CTEC (Centro Transdisciplinar do Estudo da Consciência da Universidade Fernando Pessoa) apressei-me em contactar o responsável por este centro de investigação o Dr. Joaquim Fernandes.
Por sinal ele, também tivera conhecimento do caso e estava interessado em entrar em contacto com o citado protagonista.
Ocorreu-me, então, ligar para o Jornal Matosinhos Hoje que rapidamente conseguiu o contacto do Sr. Manuel Ramos.

Manuel Ramos mostra o local
onde avistou o estranho objecto.
Depressa foi possível uma pequena delegação do CTEC encontrar-se com ele na própria praia da Agudela Tivemos uma longa conversa onde, para além repetir, ao pormenor, tudo quanto já tinha dita à TVI, ele nos revelou algumas interessantes facetas da sua pessoa: Fiquei com a nítida sensação de estar na presença de alguém com uma grande sensibilidade humana e um percurso de vida muito rico. Depois de uma experiência como imigrante na Suiça, interrompida por problemas de saúde, constroi novos horizontes de vida a partir da descoberta do seu talento para as artes plásticas.

Desenho do objecto cor-de-laranja em forma
de cubo visto sobre a praia
Referiu, também, que um amigo lhe revelara que o seu "O.V.N.I." estava representado na janela quadrada pintada num quadro que lhe oferecera em tempos.
Sentia que aquela "insólita experiência" lhe foi, de algum modo, dirigida.
De facto, não havia ninguém, na altura, por aquelas paragens e tivera a sensação de que "algo", ter interferido com a sua mente ( "para o bem ou para o mal" ).
Referiu, também, que foi uma experiência terrível e que julgara que a sua cabeça iria a todo o momento rebentar...

Há muito que o CTEC considera que estes fenómenos devem naturalmente ser estudados segundo uma metodologia científica apropriada. Considera que existe uma interacção muito marcada entre este tipo de fenómenos e as suas eventuais testemunhas.
O caso presente para além de reunir muitas características típicas do fenómeno "ovni", também, revela alguns contornos dessa possível interacção. A partir de agora seguir-se-á um processo de estudo com base nessa metodologia.
Nada será deixado ao acaso, quer a nível da análise cientifica às fotos, e condições físicas associadas ao fenómeno, quer à sempre possível relação com o imenso e complexo universo da mente.
Pouco passada das 22h30m de quinta-feira da semana passada quando Manuel Ramos, residente em Lavra, passeava junto à praia da Agudela com os seus três cães, num percurso de cerca de 200 metros que costumava palmilhar habitualmente, àquela hora.
Olhou então para as pedras do Corgo para ver se alguém percava, como por vezes acontece, mas ninguém estava lá.
  Momentos depois os cães, apavorados, chagaram-se a ele a ganir e tentaram estar o mais próximos possível das suas pernas numa manifestação de medo. "Foi então que reparei que qualquer coisa se estava a elevar da areia - parecia um cubo que teria cerca de quatro por quatro metros; era uma coisa opaca, como se fosse de mármore", contou ao JM.
  Manuel Ramos dis que perdeu a noção do tempo, mas recorda-se de ver "uma explisão de luz" que não sabe explicar por outras palavras. Aterrorizado e com os cães cheios de medo, não se recorda do que se terá passado entretanto, mas lembra-se que, quando se apercebeu, estava a caminho de casa, onde chegou às 23h40m.
  Entretanto, verifica que no seu telemóvel tinha três fotografias que identificavam o fenómeno a que diz ter assistido, apesar de não se lembrar de ter captado as imagens, que foram tiradas às 22h39m, 22h40m e 22h41m.
Foto do clarão provocado pela "explosão"
"As fotos são evidentes, mas eu nem me lembro de as ter tirado", refere.
Mal estrou em casa contou o que se tinha passado à sua família, que viu o estado em que Manuel Ramos e os cães estavam. Com tremuras, nervosismo e ansiedade, a família decidiu pedir assistência médica e contactou o INEM, tendo sido consultado em casa.
"Ao longo das últimas noites tenho tido muitas dores de cabeça e isto tudo deixou-me completamente perturdabo e constrangido.
Nunca mais tive coragem para passar no mesmo local. Se é que há Deus, eu só peço que nada de mal me tenha acontecido durante aquele tempo em que não me recordo do que se passou", afirma emocionado.
"Não sei o que se passou comigo durante uma hora".
Entretanto Manuel Ramos contactou os serviços da marinha: "Disseram-me que iam enviar um piquete para averiguar se encontravam algo".
O Lavrense também falou com o major Gonçalves, relações públicas do Estado Maior da Força Aérea, que afirmou que "ia ser instaurado um inquérito de âmbito da defesa nacional e que ia enviar o caso para um centro europeu de investigação e observação de vida exterior".
O fenómeno a que Manuel Ramos diz ter assistido ocorreu numa parte baixa da praia, pelo que não haverá mais testemunhas:
"Tenho falado com muita gente, mas mais ninguém viu, ao que parece".
 Acrescenta ainda que, enquanto tudo se passava, ouviu "como que um murmurar, não sei se era alguma voz ou algum barulho".

Perante estas observações, o lavrense garante: "Estive em contacto com um objecto não identificado, que só poderia ser alguma coisa de outro planeta, porque não faço ideia do que era e não sei o que se passou comigo naquele espaço de tempo de uma hora".
 Ainda em estado de choque, Manuel Ramos diz que acredita na existência de vida noutros planetas: "Acho que não somos os únicos seres vivos no mundo e acredito que é possível haver fenómenos como o que eu presenciei, mas não sei o que era aquilo e nem sei se estive em contacto com aquela coisa. Só sei que isto não me sai da cabeça".
O artista lavrense continua a viver a sua vida, pertubado com dores de cabeça constantes.
Jura a pés juntos que conta a verdade e que não acrescenta mais promenores à história, porque não se recorda do que se passou entre as 22h41m e poucos minutos antes das 23h40m, quando chegou à sua morada.
  O caso foi foi então estudado pela Marinha e Estado Maior da Força Aérea.


FONTE: Artigo publicado no jornal de dia 26 de Julho de 2005 por Manuel Jorge Bento

ARTIGO: Transcrito para o site do GPPOVNIS por Raul Silva

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Fenómeno OVNI da crença à realidade


São tantas as ocorrências, sempre acompanhadas de fotos e filmes, que não se pode mais perguntar se uma pessoa acredita ou não em discos voadores!

Hoje em dia a pergunta é se a pessoa está ou não está informada sobre ovnis.

Os factos são tantos e fenomenais, como por exemplo as marcas deixadas no chão, que permitem estudo do mistério.
O mistério não é um evento científico no rigor da ciência porque não permite o pressuposto da manipulação, porém, tantos já o viram que não se pode negar o fenómeno do ponto social ou jornalístico.

O facto de uma pessoa jamais ter visto um ovni não justifica a descrença porque a probabilidade de alguém os ver é muito baixa.

A idoneidade de certas testemunhas é tão flagrante que se elas, por acaso, testemunhassem qualquer crime, as suas palavras levariam o réu directo para a cadeia, no entanto, no caso do ovni, muitas pessoas duvidam. Por quê?

Mirante

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Como reagíamos se a existência de extraterrestres fosse provada?

Bem, diz estudo
Investigador de Psicologia da Universidade do Arizona decidiu fazer o estudo por existir tão pouca informação sobre esse eventual cenário

"Se nos confrontássemos com a descoberta de vida fora da Terra, ficaríamos bastante animados com isso", garantiu o investigador Michael Varnum, à frente do estudo que foi apresentado este sábado na reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência em Austin, no Texas, EUA.

Para fazer o estudo, a equipa de investigadores analisou, através de um programa, a linguagem de notícias publicadas em jornais sobre a possibilidade de se provar que a vida extraterrestre existe. O programa "quantifica emoções, sentimentos, impulsos e outros estados psicológicos em textos escritos" e, como resultado, obtiveram-se "mais emoções positivas do que negativas".

A par da análise do programa, a equipa entrevistou cinco mil pessoas e perguntou-lhes como se sentiriam com essa descoberta. Também aí os resultados apontam para uma reação geral positiva.

https://sol.sapo.pt

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Fenómeno OVNI em San Mateo - México


O município de Naucalpan , no Estado do México, é o cenário de avistamentos importantes para a casuística do OVNI.

Vale lembrar o vídeo gravado pelos caçadores de ovnis: Pedro Hernández e Alfredo Carrillo na cidade Satélite, na tarde da sexta-feira, 9 de maio de 2009, onde foi observado um objeto voador amarelo que libertou dezenas de esferas à esquerda e à direita; eles eram pequenos objetos cinza escuro, enquanto o maior seguia girando a baixa altitude.


Os vídeos de OVNI registrados em 2014 sobre o bairro de San Mateo, desse mesmo município do México, evidenciam uma série de objetos anormais que são invisíveis para o olho humano.
Embora isso possa parecer incrível, eles são detectados por dispositivos de visão noturna que voam cerca de 20 ou 30 metros acima dos edifícios onde se encontrava o caçador de ovnis Fernando Lucero .

"Os cães começam a latir, ficam inquietos, é como se eles soubessem que algo estava lá encima, mas ninguém percebeu porque ninguém conseguia vê-los".

Certamente, uma civilização bem mais avançada tecnologicamente vem, vem ao nosso mundo, será para fins de pesquisa para conhecer os seres humanos, hábitos a nossa natureza etc; Mas também para conhecer as características gerais do nosso planeta, daí entendemos a razão da muita atividade em redor do vulcão Popocatépetl que registou um número de avistamentos de OVNIs, pois estarão estudando a evolução desse grande colossal Vulcão. 

Na década de 1960, para promover a venda de terras para a construção de casas na área, a televisão mexicana apresentou um comercial com um disco voador e dois extraterrestres que voavam sobre as suas Torres, o emblema característico do norte dessa cidade.
'Cidade Satélite' foi nomeada porque foi considerado uma área residencial fora da grande cidade da Cidade do México, mas até agora foi integrada no Vale do México com milhões de habitantes ao seu redor.

No município de Naucalpan foi estabelecida a cultura Tlatilca que tinha na sua tradição os Tlamatines, que eram os homens de poder, os homens que se comunicavam com as "outras realidades" que no momento as vemos exibidas no Museu da Cultura Tlatilca, localizada em Periférico, dá a impressão de olhar para uma pessoa com um traje espacial estranho. 
O México tem uma casuística rica com casos importantes que manifestaram mensagens com conteúdos que vão desde ecológicos, filosóficos, astronômicos, tecnológicos, médicos, entre muitas outras questões.

Até o momento, as mensagens recebidas são muito semelhantes às que eram conhecidas na década de 50, será que o ser humano não entendeu a informação que nos deram, será que eles estão nos dando um duplo discurso ao considerar isso, nós não temos uma memória histórica e, portanto, eles nos nos podem tentar dizem o mesmo, ambas as opções são válidas. 


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Nave extraterrestre em foto da missão espacial Apollo 10?

No Site oficial da NASA o investigador de OVNIs, George Graham, encontrou uma imagem muito interessante realizada pelos astronautas norte-americanos da órbita da Terra durante a missão espacial Apollo 10.

No vídeo pode ser visto um aparelho espacial gigante em forma de disco. 
É difícil acreditar que tal prova de existência de extraterrestres tenha sido publicada no Site da NASA. 


Mas 99% das pessoas nunca verá qualquer destas provas", acrescenta Scott Waring,  investigador em Taiwan.  


Waring acredita que esta imagem é a prova de que as aeronaves extraterrestres visitam a Terra. 
Também se supõe que a imagem mostra a decolagem da nave extraterrestre, uma vez que a parte convexa está voltada para o Espaço.  

Como avistar um OVNI

Em conversa com o Trip TV, ufólogos explicam o que realmente sabem e o que acreditam ser verdade nesse universo cheio de misticismo

Existe vida fora da Terra? 

Houve algum contato ou tentativa de contato com humanos? 

Isso representa algum perigo para os humanos? 

O que fazer em caso de abdução?

São muitas as perguntas que rondam a existência de inteligência fora do nosso planeta.
Dedicados a encontrar essas respostas, investigadores no Brasil reúnem relatos, vivências pessoais e dados oficiais para traçar hipóteses sobre a vida extraterrestre.
Em conversa com o Trip TV, ufólogos explicam o que realmente sabem e o que acreditam ser verdade nesse universo cheio de misticismo.


Newcastle na rota dos OVNIs


Na área de Newcastle se observa uma enorme quantidade de objectos voadores estranhos

Durante décadas, as histórias em torno da vida extraterrestre têm atraído pessoas um pouco por todo o mundo – mas se os extraterrestres realmente existem, que aparência eles têm e para onde iriam?

Parece que a resposta para isso pode ser procurada em Newcastle.
Este é o ano do 71º aniversário do incidente de Roswell, quando alegadamente um OVNI caiu no estado do Novo México, nos Estados Unidos, e causou o surgimento de enorme quantidade de teorias de conspiração.

Na área de Newcastle também, se observa uma enorme quantidade de objetos voadores estranhos, referenciados pelo jornal Chronicle Live.
Foi recolhida uma enorme quantidade de vídeos, incluindo um vídeo da cidade de North Shields, também no Reino Unido, onde três pontos luminescentes formando um triângulo foram observados sobre a cidade.

Inglaterra continua a ser um dos países com maior número de observação aéreas de objectos voadores não identificados, embora seja também um país que possui uma indústria militar activa, onde alguns pseudo projectos de aeronaves não convencionais ( PROTÓTIPOS ), possam ser confundidos com naves alienígenas.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Spotter regista em foto OVNI em Lisboa?

Localização - Lisboa

Data - 30/07/2017 - 15/09/2017

Testemunha - Sr. Pedro Silva

Relato da testemunha...
"Conheci apenas hoje o vosso blog UFO Portugal e achei que talvez vos interessa-se os meus relatos.
Sempre fui um céptico em relação ao fenómeno OVNI, contudo o ano passado fiz duas fotografias nas quais aparecem "anomalias" que não consigo explicar. 

Faço muito fotografia a aviões que vejo passar na janela de minha casa em Lisboa.
As fotos que envio (uma do dia 30 de Julho de 2017, outra do dia 15 de Setembro) foram por mim reportadas à Mufon sem obter qualquer resposta.
Daí contactar-vos agora. 

Se puderem ajudar a identificar ou despistar outro tipo de objecto mais "comum" agradeço pois esgotei as minhas hipóteses.

A primeira foto (30 Julho) trata-se de um objecto sólido com brilho metálico rosado, que surge bem acima da cauda de um avião da Lufthansa.
Nem a fotografia anterior nem a seguinte (usando o disparador em sequência) apresentam o objecto, o que dá uma ideia da velocidade.

A segunda (15 Setembro) é um objecto que parece ter luz própria, feito de "gomos", que embora pareçam aleatórios possuem alguma simetria. 

A mesma situação em sequência: nem na foto anterior nem na seguinte aparece o objecto.

Um dado importante nestes avistamentos é que ambos só foram detectados depois de descarregar as fotos no computador, quando as estava a visionar. 

Apenas na de 30 Julho julguei aperceber-me de algo a cruzar o meu campo de visão periférica e fui ver a foto".

O ano 2017 foi marcado na aviação civil em especial, devido ao manuseamento indevido de drones no espaço aéreo onde decorrem vôos de aproximação, aterragem ou descolagem do Aeroporto de Lisboa.
Tema polêmico que fez bastante manchete na imprensa nacional.

Porém existem outras possibilidades a ter em conta como objecto alvo, próximo da lente 'inseto, aves etc', que por vezes devido ao seu vôo rápido + processamento de obturação da câmera, criam efeitos discoidal.
Porém ao realizar zoom sobre a imagem, ficamos com a percepção de que o objecto alvo parece estar bem acima do avião!
Isto se não estivemos perante uma ilusão de óptica.
E se estiver efectivamente acima da aeronave, esse objecto apresenta ter um tamanho considerável.
Este não é o primeiro incidente reportado ao UFO Portugal Network que envolve aviões e estranhos objectos em plena Lisbos, da qual as pessoas ficam sem perceber o que realmente observaram.

É fácil podermos criar um argumento, explicação para um determinado registro fotográfico!
Exemplo da segunda fotografia que nos parece mostrar um conjunto de balões.

Este é um assunto que ainda têm os seus tabus, acreditasse que outros Spotters na área da grande Lisboa, podem não só ter observado anómalias aéreas como também feito o seu registo fotográfico.

Para análise e comparação na segunda foto foi adicionado um segundo objecto digitalmente de forma a poder comparar os pixels.
"Objecto circular branco"


Na terceira imagem e já com a referida (análise) o erro foi detectado.
O programa simplesmente detectou onde estava a manipulação eliminando esta, de forma a sabermos que o objecto "Alvo" reportado é autêntico.


O objecto alvo após a verificação do programa não desapareceu o que indica estar enquadrado na foto original.

Se observou algo de anômalo pode reportar para: ufo_portugal@sapo.pt

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Uma noite fora do vulgar na região de Évora

História minimamente intrigante nos chega ao correio dos leitores.
O que terá este casal presenciado numa fatídica noite de Agosto de 2017?
Segundo a descrição, o evento terá decorrido na localidade de Nossa Senhora de Guadalupe no concelho de Évora.

Para quem não conhece os Cromeleques, Almendres, estes são conhecidos como o Stonehenge Português.

Relato...
"Olá boa noite.
O meu nome é Júlio Machado, natural de Torres Vedras e passo a citar o seguinte.
O ano passado em pleno mês de agosto, fui com a minha esposa de férias visitar os cromeleques na região de Évora e aconteceu uma situação minimamente insólita.
Não vos sei precisar as horas mas penso que rondava entre as dez da noite dez e meia foi bem depois do jantar.
Enquanto passeava com a minha mulher a ver os almedres nessa noite de lua cheia vimos que no local também estavam dois fotógrafos estrangeiros a tirar fotografias e uma outra camera num tripé onde um dos fotógrafos nos pediu muito educadamente para não cruzarmos num determinado ângulo daquela camera.
O estranho é que a uma não grande distância talvez menos de um quilómetro ouvimos um pequeno estrondo e no horizonte surgiu uma luz bastante forte entre o branco e amarelo.
Essa luz tinha um formato oval, mas não era uma luz ofuscante que deveria ter prái o tamanho de um mini autocarro.
Na sua base inferior podemos ver o que parecia no meu ver um sistema de propulsão pequeno de tonalidade azul e verde que variava entre um rosa.
Aquilo subiu sempre na vertical com uma grande velocidade até ficar um pequeno ponto luminoso que perdermos de vista com as estrelas.
Um dos fotógrafos que estava no sítio tirou fotografias ao objecto que nós vimos e todos ficamos sem dizer uma única palavra durante uns dois minutos.
O que era não sabemos mas que foi estranho foi.
A minha mulher ainda tentou me convencer que se tratava de um helicóptero, mas um helicóptero faz um som ensurdecedor o objecto não fez qualquer som a não ser o estrondo inicial.
Conheço muito bem o ruído de um helicóptero.
Na manhã seguinte já no hotel tomei a liberdade de telefonar para o quartel militar de Évora onde tirei a dúvida que não houve qualquer actividade militar na região.
Não consigo adiantar muito mais não sou um crente em vida extraterrestre mas uma coisa daquelas num local histórico foi minimamente estranho.
Estou bastante arrependido de não ter pedido o contacto do fotógrafo que bateu as fotografias.
A noite estava bastante quente e estou convencido que mais pessoas naquela hora estavam na rua e devem ter visto exactamente o mesmo que nós.
Procurei na internet por imagens e relatos dessa noite e nunca consegui encontrar nada parecido com o que vimos".



Está história é minimamente curiosa, pela qual se mais alguém presenciou o mesmo fenómeno nos contacte através do nosso e-mail: ufo_portugal@sapo.pt

O UFO Portugal Network, não descarta a possibilidade de se tratar do Lidar Raman da Universidade de Évora, embora exista uma distância considerável do local vs Évora como também a fisionomia transcrita pela testemunha " Objecto Oval" e o raio projectado pelo Lidar Raman.

Imagem de um Lídar Raman projectando um laser na
atmosfera a fim de obter a leitura da mesma 

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Observação anómala em Penafiel

Observação de esferas em Penafiel

Segue o relato de uma testemunha, que por motivos pessoais e profissionais, optou por manter anonimato, deixando o seu testemunho para algo que observou e pela qual não encontrou uma resposta plausível.

Abaixo relato e imagens recolhidas pela própria testemunha de forma a exemplificar o que viu ou semelhante ao que observou em 2003.

Relato...
Esfera semelhante às observadas em Penafiel
"No ano 2003 quando cheguei a casa para almoço vi a pairar sobre a serra de frente à minha casa a cerca de 4 km, três esferas prateadas não tive tempo de registar o momento pois só durou alguns minutos e depois despareceram mas ficou registado na minha memória.
O avistamento foi observado em Penafiel sobre a serra que fica entre as freguesias de Rãs e Luzim.


Já vi na internet imagens de avistamentos iguais depois disso.
Acredito plenamente na vida extraterrestre, nunca contei a ninguém apenas á minha esposa pois, achei que ninguém acreditava.
Curioso que passado tanto tempo em 2010 fui trabalhar precisamente para o sítio onde vi os objetos a pairar.
No mínimo acho estranho.
Desde aí tenho observado muitas vezes luzes passando no céu que de certeza não são aviões pois notasse claramente a diferença". 

Se é desta região ou próximo, aqui fica a recomendação de ficar vigilante ao local referenciado pelo observador.


Recomendamos a todos os leitores ou observadores de algo anómalo, enviarem os seus relatos, fotos ou vídeos para: ufo_portugal@sapo.pt

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

1968 OVNI na Estação Francesa Iha das Flores - Açores

Antiga Estação de Rastreio Francesa na ilha das Flores

2 de Fevereiro de 1968 - freguesia de Ponta Delgada (Estação Francesa), ilha das Flores

Dois funcionários técnicos do Serviço Meteorológico Nacional, Fernando Rocha e Carlos Resende Corvelo, e um outro indivíduo, António Fraga Maurício, viram ontem um estranho objecto voador na ilha do Corvo – anunciou Rádio Clube de Angra do Heroísmo no seu terceiro noticiário, divulgado às onze horas locais. 

Fernando Rocha, chefe do posto meteorológico do Corvo, procedia à observação do tempo quando a sua atenção foi despertada pela insólita visão do corpo luminoso de forma esférica. 

Chamou os companheiros e todos afirmam que objecto voador parecia pairar sobre a freguesia de Ponta Delgada, na ilha das Flores, onde está situada a Estação Francesa de Rastreio.

O estranho objecto encontrava-se a uma altitude de mil metros, tendo uma luz e uma configuração semelhante à da lua cheia, porém de cor pálida.

Durante sete minutos o objecto foi visto pelos três açorianos deslocando-se muito devagar sobre a ilha das Flores, até, finalmente, desaparecer no sentido sueste.

Fonte : «Diário Popular», – 28-02-1968