segunda-feira, 27 de junho de 2016

OVNIS - 2016 -Leiria- Portugal



Captados a Oeste e Este de  Leiria nos dias
 25/ e 26/ de Junho 2016
      22h 55m  e   23h 05m              

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Dia Mundial dos Discos Voadores é comemorado nesta sexta-feira


Foi à 69 anos que o aviador e empresário norte americano Kennet Arnold, anunciou à imprensa ter avistado nove objetos voadores não identificados (OVNIs), se deslocando em formação, próximo ao Monte Rainier, em Washington (EUA).

O episódio marca o início da ufologia moderna, que se iniciou a 24 de junho o Dia Mundial dos Discos Voadores.

Kennet Arnold, durante a entrevista, descreveu os objetos como parecendo discos a saltar sobre a água. Esta descrição foi encurtada para "discos voadores" pelos jornalistas o que resultou no uso popular do termo.

Poucos dias depois do avistamento de Kennet Arnold, uma suposta nave espacial teria caído na cidade de Roswell, Novo México. O Caso Roswell, como ficou conhecido, é considerado o mais importante registrado até hoje .

Embora o governo americano negue e busque justificar o Caso Roswell , os relatos sugerem que a nave e os corpos dos tripulantes teriam sido resgatados pela Força Aérea Americana e levados para uma base secreta.

O avistamento dos discos voadores seguido do Caso Roswell transformaram Kennet Arnold em celebridade, que por mais de dez anos seguidos foi requisitado para entrevistas ao lado de outras pessoas que viram ou entraram em contato com OVNIs.

Em 1952, Arnold publicou um livro: "A chegada dos discos". Ao longo dos anos, escreveu diversos artigos para revistas sobre seu avistamento do OVNI além de sua pesquisa posterior.

No ano 2000, o engenheiro norte-americano James Easton tentou explicar o Caso Kenneth Arnold . Segundo o engenheiro, o piloto teria visto pelicanos que, em voo, refletem a luz do sol em seu corpo como se fosse uma superf ície metálica.

Casos de avistamentos de discos voadores são registrados no mundo.

Desde o avistamento de Kennet Arnold e os casos subsequentes, milhões de pessoas no mundo questionam: Afinal, existem discos voadores ou não?

No mês passado, a candidata a presidência dos Estados Estados Unidos pelo partido Democrata, Hillary Clinton, afirmou que, se eleita, vai abrir os aquivos secretos dos Estados Unidos sobre os OVNIs.

Por via das dúvidas, hoje (24) a noite dê uma olhada no céu, hoje é o Dia Mundial dos Discos Voadores. 
Quem sabe estaremos recebendo uma visita 😉

Fonte

Caça a alienígenas fez vocalista do Blink-182 abandonar banda.

“Sei de coisas que não posso falar”

Tom DeLonge, que saiu do grupo em 2015, precisava de mais tempo para os alienígenas. “Lido com algo que é questão de segurança nacional”, diz

Em janeiro de 2015, Mark Hoppus e Travis Barker, do Blink-182, anunciaram que o vocalista e guitarrista Tom DeLonge abandonava a banda.
Um trecho do comunicado dizia: “Estávamos prontos para tocar num festival e gravar um novo disco e Tom ficava adiando sem motivo.
Uma semana antes de irmos para o estúdio, recebemos um e-mail de seu empresário explicando que ele não queria participar de projetos do Blink 182 por tempo indeterminado.
Preferia trabalhar nos seus outros empreendimentos não-musicais”.

Pois por “empreendimentos não-musicais” entenda-se o estudo sobre alienígenas, uma questão de segurança nacional, segundo o músico.
Foi o que ele contou numa entrevista recente ao site “Mic”, para divulgar o projeto “Sekret Machines”.
A série terá livros de ficção e não ficção, um documentário e canções da banda na qual DeLonge ainda toca, a Angels & Airwaves, todos tendo como tema “fenômenos aéreos não identificados”, como prefere o vocalista.
O primeiro título, “Sekret Machines Book 1: Chasing Shadows”, foi lançado em Abril.

O músico conta que se interessa pelo tema desde os tempos de escola.
Ainda nos Blink, escreveu “Aliens Exist” (“Aliens Existem”) para o disco “Enema of State”, de 1999 .

Sobre ter deixado a banda que fundou, ele explica. “Um indivíduo como eu lida com algo que é questão de segurança nacional e ganha a oportunidade de comunicar algo pelo qual foi apaixonado a vida inteira – algo que tem a chance de mudar o mundo ao longo do tempo – ser uma pequena parte disso é imensamente importante para minha trajetória.
Mas eu não consigo fazer tudo!
Eu não posso sair em turnê por nove meses e ter tempo suficiente para a grandiosidade daquilo que tenho que fazer ”, conta, vago.

“Eu tinha tempo livre e ia para a biblioteca da escola procurar por livros sobre o assunto. No início da minha carreira eu tinha muito tempo livre viajando pelo país dentro de uma van por 12 meses, então consegui um monte de livros que desafiaram o jeito que eu pensava sobre as coisas”.

TOM DELONGE
 Ex-vocalista e guitarrista do Blink-182 veja também
Guitarrista Tom DeLonge deixa o Blink-182
DeLonge comenta sobre a experiência com extraterrestres há algum tempo, o que muitos encaram como piada.
Apesar disso, não quer a responsabilidade de convencer ninguém. “Não acho que eu vá ser a pessoa que vai oferecer a melhor evidência a não ser que as pessoas realmente confiem no que estou fazendo e acreditem em mim. (...) Sei de coisas que não posso falar agora”.

Fonte

quarta-feira, 15 de junho de 2016

OVNIS 2016-- LEIRIA ..PORTUGAL



OVNIS são observados sobre a capital portuguesa, deslocando-se
para norte onde foram capturados
As filmagens que vou passar aconteceram em LEIRIA na madrugada de segunda-feira, dia 13 de Junho de 2016, entre a 1h 35 e a 2h 50m

terça-feira, 14 de junho de 2016

OVNIs são observados sobre capital portuguesa


OVNIs " Objectos Voadores Não Identificados", são observados e registados em fotografia durante a sua passagem sobre Lisboa.
O fenómeno terá sido presenciado por jornalista e uma amiga.

Relato descritivo da observação da testemunha....

 "Chamo-me Vítor Correia, tenho 48 anos, sou jornalista, e resido na Rua Manuel Marques, no Lumiar, em Lisboa.

Os factos que vou passar a descrever aconteceram na madrugada da passada segunda-feira, dia 13 de Junho de 2016, entre a 1h20 e a 1h50.

Estava em casa, com uma amiga, quando decidimos ir à janela da cozinha fumar (por hábito só fumo nessa janela).




Quando olhei para a minha esquerda vi que algo se movia no céu. Reparei então que vários pontos se deslocavam da minha esquerda para a direita. A velocidade seria semelhante à de um avião quando se prepara para aterrar, mas a sua altitude deveria equivaler à altitude de um avião numa rota de passagem, penso que acima de 10.000 metros.

Comentei com a minha amiga que aqueles pontos luminosos se moviam. E ficámos os dois estupefactos a olhar. A seguir àqueles, vinham outros e mais outros... E outros. Estavam agrupados em três ou quatro, pelo menos tendo em conta o que a nossa visão alcançava. Nesses grupos uma unidade situada sensivelmente a meio da formação era a mais luminosa. Todos tinham luz própria, branca e que não era intermitente e não cintilava. Tratava-se de uma luz contínua. Nalguns períodos da observação os pontos pareciam alterar a sua velocidade, acelerando, talvez para se esconderem por cima do tecto de nuvens que existia nessa noite.



Utilizei a bússola do meu iPhone e constatei que se deslocavam de Sul para Norte (entre os 150 e os 160 graus), descrevendo linhas rectas e em sentido oposto ao do vento. No  seu percurso usavam parte do corredor aéreo utilizado pelos aviões para aterrarem no Aeroporto da Portela.



O céu nessa noite estava bastante nublado, mas existiam algumas abertas, que nos permitiam ir vendo o verdadeiro desfile de Objectos Voadores Não Identificados. Durante cerca de 30 minutos passaram algumas dezenas desses objectos. Sempre com trajectórias idênticas. Curiosamente, não houve durante esse período nenhuma aterragem de aviões na Portela. Acredito que os radares do aeroporto tenham captado os referidos objectos.



O meu iPhone tem menos resolução do que o iPhone da minha amiga. Por isso, foi ela quem fez as fotos. Vou pedir-lhe para lhe enviar. Fiz dois vídeos com o meu, mas só num deles se consegue perceber, embora com dificuldade, a presença dos referidos objectos".



Podemos concluir que durante a hora de observação do Sr. Vítor Correia, efectivamente não decorria qualquer vôo sobre Lisboa!
Poucos dias antes era reportado um outro avistamento semelhante em Cascais.
No vídeo acima a colocação de filtros ajuda a clarear a imagem, porém o vídeo fica completamente imperceptível.
Optamos por manter o vídeo original.




Na mesma madrugada os mesmos objetos eram registados em Leiria pelo colaborador Euclides Santana.
Coincidência!



Ambos os vídeos, quer do Sr. Vitor como do Sr. Euclides, os objectos fogem do padrão comum na sinaletica aérea de aéronaves militares ou comerciais!
No dia 8 era reportado ao Ufo Portugal uma outra observação na orla de Lisboa pela qual não se obteve imagéns apenas a visualização de uma luz anómala com voo bastante lento.
Devido às festividades, podemos concluir, deduzir ser alguma espécie de balão Junio! "Dedução".

Os avistamentos de estranhos fenómenos têm aumentado significativamente em Portugal.
Maioria dos relatos apresentam uma explicação plausível!
Porém 10% dos relatos acabam sem uma explicação onde determinamos estes casos como ovni Objecto Voadore Não Identificado.

As constantes observações nos levam a questionar que a Segurança Aérea do país sabe do assunto e possivelmente o investiga.

Enquanto isso a imprensa continua de olhos fechados fixada nas políticas e futebóis manipulando o povo a seu belo prazer.

28 Julho confirmação...
FAP confirma a inexistência de voos militares.





Se observou o mesmo fenómeno não exite em nos reportar a sua observação para: ufo_portugal@sapo.pt 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Pesquisador narra a busca de ovni's na Serra da Beleza

A história da ufologia brasileira tem como um de seus principais capítulos a pesquisa   na Serra da Beleza, iniciada pelo renomado ufólogo Marco Antônio Petit, em 1982, em Conservatória, distrito de Valença, Rio de Janeiro. Pioneiro na pesquisa de campo na   região, Petit encontrou uma incidência do fenômeno OVNI que remonta há pelos menos 50 anos e foi relatado pelos moradores da região em mais de 400 casos documentados por ele.

Eu me juntei ao grupo de pesquisa em 1989 e, desde então, vimos muitas manifestações. Aprendemos que diante de uma experiência ufológica real o menos relevante é fotografar ou filmar. Foi exatamente isso que aconteceu em 3de agosto do ano passado, um sábado, por volta de 21h30m, em uma noite limpa de céu estrelado. Eu e o pesquisador Júlio Ferri, estávamos em vigília desde as 17h, em um platô, ponto de observação dentro de uma fazenda onde temos autorização de pesquisa.


Esse é um ponto de fluxo de carros que transitam na região e os faróis podem confundir quem não está acostumado com a pesquisa de campo. Fizemos um pacto e lançamos um   pensamento de que não iríamos fotografar nem filmar, caso tivéssemos um avistamento.  Minutos depois comecei a ver clarões no céu, à nossa direita, bem próximo ao horizonte. Não podia ser relâmpago, pois o céu estava claro e estrelado. Foram cinco clarões como flashes, mas grandes. Olhamos na direção contrária e vimos uma luz gigantesca que ocupava toda a montanha e toda a estrada.


Vimos perfeitamente um carro passando embaixo da luz e a reação do motorista que vinha acelerando, mas quando viu a luz quase parou, depois prosseguiu lentamente. Debaixo da luz dava para ver as lanternas traseiras dentro daquela luminosidade toda. Quando o motorista ultrapassou o limite mais central da luz, ele acelerou visivelmente apavorado.

De repente, Júlio pegou a máquina para fotografar e para nossa surpresa a luz se fechou. Pelo binóculo eu via perfeitamente que ela permanecia lá, só que pequena e vermelha. Bati na mão dele e falei que havíamos combinado de não fotografar. “Guarda a máquina”, eu gritei. Ele guardou e a luz voltou, com toda intensidade. Naquele momento percebi que estávamos interagindo com eles.
Ficamos em êxtase. Tudo acontecia a um quilômetro de distância mais ou menos. A luz tinha um arco de uns 40 metros de diâmetro ou mais, era branca luminescente, seu núcleo era azul cintilante, parecia viva. Ao sair da fazenda passamos por uma porteira que antecede uma mata fechada. Júlio saiu do carro para abri-la e quando ele estava passando eu senti uma pancada enorme no carro, acompanhada de um estrondo e um tranco que sacudiu o   veículo na lateral direita. Imediatamente pensei que havia calculado errado e enfiado o carro na porteira.

De fora do carro, Júlio ouviu e sentiu a mesma coisa. Ele pensou que eu tinha atropelado algum bicho. Saí do carro e constatamos que não havia nenhum arranhão, nenhum amassado, o carro estava intacto. No caminho para a cidade, que fica   a 12 quilômetros, paramos quatro vezes, pois não entendíamos o acontecido. Especulei que poderia ser um animal, mas não ouvimos nenhum barulho na mata cujas folhas estavam secas.
Até hoje não conseguimos explicação. Ufologicamente, acredito que o objeto poderia estar ali em uma condição invisível e, ao partir, provocou deslocamento de ar, um barulho, mas provavelmente em outra condição extrafísica. Hoje tenho a intuição de que os seres que estão na região não querem ser fotografados e nem filmados.

O Ufólogo Arthur Ferreira é um dos maiores nomes da Ufologia no Brasil! Pesquisador sério. Rondinelli.




sábado, 11 de junho de 2016

OVNI é fotografado a sobrevoar 'Rio Tinto' - Portugal

O misterioso Objeto Voador Não Identificado terá sido registado por Hélder Pinto, pelas 07:30/08:00 horas da noite do dia 8 de Junho deste corrente ano 2016.
Hélder registou o objeto com o seu Vodafone smart ultra 6 de 13 mpx.
O aparatoso objeto ainda por identificar terá criado algum furor nas redes sociais além de ter despertando atenção de alguns grupos de investigação Internacional pela qualidade e captura do misterioso objeto.

Hélder conta ao UFO Portugal que viu o objecto da qual somente teve tempo de ligar o telefone e realizar a fotografia.
Após uma caminhada rotineira do trabalho para casa, enquanto terminava o seu cigarro observou o misterioso objecto que se movimentava mais rápido do que um avião sem produzir qualquer ruído!
A foto foi realizada nas traseiras do Pingo Doce em Rio Tinto.



Se tiver alguma informação queira-nos contactar através do nosso e-mail ufo_portugal@sapo.pt


Esta foto se real, poderá ser uma das melhores fotos no mundo do fenómeno OVNI.

sábado, 4 de junho de 2016

Segurança filma ovnis no Alasca com imagem impressionante


Na noite de 13 de Maio, no Alasca, um agente de segurança filmou uma luz estranha que parece estar dividido em objetos separados. 

"Inexplicável": esta é a conclusão lapidada pela investigação da MUFON, a maior Associação de investigação OVNI nos EUA , que abordou este vídeo de um objeto brilhante filmado em Fairbanks, segunda maior cidade do Alasca a 13 de maio de 2016 , cerca de três horas. "Notei uma luz intermitente inicialmente pensei que era um avião diz a testemunha. Mas quando cheguei ao outro lado do edifício Morris Thompson, voltada para o leste, vi uma grande esfera brilhante ir direta para o chão, enquanto que a primeira luz ficou estacionária. "


A testemunha, que trabalha no setor de segurança, disse que estava “de patrulha” no momento do incidente.
Imediatamente começou a filmar este fenómeno com o seu smartphone, "eu estava muito animado por ver este fenómeno.
Infelizmente, a câmera não faz justiça à intensidade da luz que tem ainda perturbado a minha visão e me deu uma dor de cabeça.
A parte mais interessante do vídeo é entre 1'03 '' e 2'30. Mas a 3'20 '' Estou tão impressionado que eu deixei um 'wow'.
O objecto de repente se move à velocidade máxima antes de retornar à sua posição original.
Então, no final ele desaparece. "



No relatório da MUFON, o investigador Jessica Desmond observa que a testemunha não ouviu qualquer característica de ruído de um veículo a motor ou helicóptero como evidencia no vídeo.
"Os únicos sons audíveis eram o canto dos pássaros.
"Também enfatiza o efeito incomum de luz sobre a visão da testemunha, incapaz de fazer um balanço do objeto principal e forçado a assistir indiretamente no ecrã do smartphone. "

No entanto, o elemento mais interessante desta observação é a divisão dos supostos OVNIs vários elementos, pontos brilhantes que parecem resistir ao primeiro objeto antes de desaparecer.
Este tipo de fenômeno é frequentemente descrito na literatura OVNI.
Em 2013 era registado um vídeo com características semelhantes a este ultimo em Boise, Idaho e enviado para MUFON.
A cena é semelhante em todos os aspectos para o oficial de segurança, três anos mais tarde, no Alasca.



Tire as suas conclusões... 

Fonte

Adaga no túmulo de Tutankamon é de ferro extraterrestre


Lâmina da arma cerimonial encontrada junto da múmia do faraó é feita do metal de um meteorito

A descoberta do túmulo de Tutankamon, em 1922, abriu uma nova era no estudo do Antigo Egito, mas passado quase um século, o túmulo do rapaz-faraó continua a ser fonte de surpresas para os cientistas. Desta vez, a novidade é esta: o ferro da lâmina de uma das adagas encontradas junto da múmia é extraterrestre. Mais de 3300 anos antes de Cristo, os construtores do túmulo usaram o material de um meteorito para homenagear o seu faraó morto, presenteando-o com um requintado objeto fúnebre que, literalmente, veio do espaço.

A descoberta foi feita por um grupo de investigadores italianos e egípcios, dos Politécnicos de Milão e de Turim, da Universidade de Pisa e do Museu Egípcio do Cairo, que usaram uma técnica não invasiva de espectrometria por fluorescência de raios X para analisar o material. E o que verificaram é que ele tem na sua composição os altos teores de níquel que só existem nos meteoritos, confirmando assim a origem extraterrestre do material da lâmina.

Encontrada em 1925, três anos depois da descoberta do próprio túmulo, a adaga, cujo punho está finamente decorado e recoberto a ouro, com um cristal incrustado, e que se encontra hoje depositada no Museu Egípcio do Cairo, chamou de imediato a atenção dos arqueólogos.

Por um lado, o ferro era muito raramente usado no Antigo Egito. Por outro, o seu aspeto era estranhamente homogéneo, e não havia sinal de ferrugem, como se seria de esperar num objeto de ferro que tinha estado mais de cinco milénios no túmulo, junto da múmia do faraó.

Durante décadas, especulou-se sobre a natureza do metal, colocando-se a certa altura a hipótese da sua origem espacial. Ela foi agora, justamente, confirmada no estudo publicado na revista científica Meteoritics & Planetary Science pela equipa coordenada por Daniela Cornelli, do Politécnico de Milão.

Os autores concluem que, dada a raridade do uso deste material no Antigo Egito - além deste, apenas um outro artefacto cerimonial encontrado num túmulo da mesma época, em Gizé, é feito de material meteorítico -, "o Antigo Egito atribuía um alto valor ao ferro dos meteoritos para a produção de objetos ornamentais ou cerimoniais de grande requinte, até ao século 14 a.C", como escrevem no artigo. "A alta qualidade da manufatura da lâmina da adaga de Tutankhamon demonstra uma capacidade precoce e bem sucedida de trabalhar o ferro nessa época [naquela região] ", concluem os autores.

Inf - DN 

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Dois casos envolvendo pilotos e UFOs na Argentina em 1974

douglas A-4B exposto em Córdoba, semelhante aos envolvidos em dois estranhos eventos em 1974

Com um dia de diferença, caças da Força Aérea Argentina caíram em presença de objetos não identificados; um dos pilotos nunca foi encontrado

Em outubro de 1974 dois casos envolvendo caças Douglas A4B Skyhawk da Força Aérea Argentina chamaram a atenção, em dois incidentes que permanecem inexplicados até hoje. Os dois casos ocorreram durante testes preparatórios para a 26º Semana da Aeronáutica e Espaço. Em 23 de outubro o caça A-4B pilotado pelo tenente Jose Van Deer caiu nas proximidadea de Maria Teresa, ao sul da província de Santa Fé. Van Deer conseguiu se salvar utilizando o assento ejetável da aeronave. Entretanto, um grupo de testemunhas afirma ter visto um grande e desconhecido objeto antes do acidente. Fazendeiros nas redondezas igualmente disseram ter observado um avião militar seguido de um grande disco metálico, que desapareceu em questão de segundos.

Uma investigação militar analisou o local da queda e entrevistou as testemunhas, tentando identificar o que foi chamado de "veículo estrano, sem resultados. A própria atitude do tenente Van Deer chamou a atenção, quando telefonou a partir da estação de trem de Maria Teresa para membros da Força Aérea, descrevendo dificuldades mecânicas advindas de um fenômeno magnético. O véu do segredo logo envolveu o caso, e as testemunhas receberam ordens de não comentar o incidente. O próprio Jose Van Deer, embora tenha tomado cuidado em não divulgar sua experiência, foi removido do serviço algumas semanas depois de forma abrupta e sem explicações.

O segundo incidente aconteceu em 24 de outubro, no dia seguinte, envolvendo o capitão Eduardo Isern. Também voando um A-4B da Força Aérea Argentina, desta vez sobre o Rio Parana, nas proximidades de Rosario, subitamente ele experimentou um problema na turbina. Com a cidade tão próxima, Isern apontou o avião para o rio, na área de uma grande ilha nas proximidades. Ele então acionou o assento ejetor, porém o paraquedas não se abriu da forma apropriada, e aparentemente o capitão caiu no rio envolvido pelo tecido, desaparecendo nas águas. O fato é que Isern nunca foi encontrado, apesar das intensas buscas que sde seguiram. O impacto da queda do A-4B criou uma trilha de sete metros terminando em uma cratera, onde a aeronave explodiu.

PILOTO TRAGADO POR LUZ ESTRANHA?
 O capitão Eduardo Isern

De acordo com as investigações do pesquisador Nicolás Ojeda, entretanto, algo muito diferente aconteceu. Várias testemunhas que preferiram permanecer anônimas afirmam que, em meio à queda, Eduardo Isern foi envolvido por uma luz compacta em pleno ar e pareceu ser tragado por ela, desaparecendo, e somente seu paraquedas caiu no rio. Há relatos de que sua família teria depois recebido uma carta, com a caligrafia de Isern, dizendo que estava bem e logo retornaria. Examinada por um especialista em grafologia, a carta de fato foi escrita por Eduardo Isern. Outras testemunhas apontam que, enquanto o acidente com Isern acontecia, um grupo de seis A-4B da Quinta Brigada Aérea, baseados em Villa Reynolds em San Luis, voaram direto para uma formação de nuvens. Após circulá-la como se procurassem algo, os caças penetraram na formação, e em seguida tornaram a sair, rumando para o Rio Paraná em fila. De acordo com o pesquisador argentino S. Corrales, o caso ainda tem vários elementos que necessitam elucidação.
Fonte:Ufos-Wilson

Coronel da FAB relata seu avistamento de UFO





O coronel Marcelo relatou ao ufólogo Thiago Luiz Ticchetti o avistamento de um ovni, nos anos 70 sobre Passo Fundo (RS) quando iniciava uma decida de aproximação em direção a base aérea de Santa Maria RS enquanto pilotava uma aeronave de caça Embraer AT-26 Xavante. O coronel disse ter visto a sua direito uma luz muito forte e azulada, consultando o controle Curitiba o mesmo foi informado nada haver sido detectado, vejam a seguir a entrevista.
                               Embraer AT-26 Xavante semelhante ao envolvido no caso.
Fonte Ufos-Wilson