sábado, 26 de fevereiro de 2011

Ufo Portugal na Radio Dimensión Insólita Madrid España

Em inicio da programação temos o ilustre José Antonio Plaza com um tema muito interessante sobre o hominideo Lucy.
Em seguida segue o tema de Ovnilogia em Portugal.
Por ultimo e a encerrar o programa temos Alba Fernandez.



José Antonio Plaza - Nuno Alves 





Lucy (AL 288-1) es el esqueleto de un homínido perteneciente a la especie Australopithecus afarensis, de 3,2 millones de años de antigüedad, descubierto por el estadounidense Donald Johanson el 24 ...de noviembre de 1974 a 150 km de Adís Abeba, Etiopía. Se trata del esqueleto de una hembra de alrededor de 1 metro de altura, de aproximadamente 27 kg de peso (en vida), de unos 20 años de edad (las muelas del juicio estaban recién salidas) y que al parecer tuvo hijos, aunque no se sabe cuántos. Tenemos como invitado y llegado de Portugal a Nuno Alves que nos hablara sobre los ovnis en Portugal, un interesante tema que nos dejara a todos atonitos sobre los ufos de nuestro país vecino.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

MOEDAS COM OVNIS....? INTERPRETAÇÕES ERRADAS

Ufologia, arte e numismática

A Imagem desta moeda, que na realidade parece ser mais uma medalha, sabe se, que foi cunhada por volta de 1680. Ainda sendo referida por algumas publicações de Ufologia, nunca se deram a mais notícias. Nota-se claramente uma “roda”, que desde o centro parte um “raio” que se liberta num céu nublado. No marco lê-se a inscrição “OPPORTVNVS ADEST” = É PRESENTE Ao MOMENTO OPORTUNO. (J.P.Cave L. Foreman “Ovnis e Extraterrestres” – Mondadori 1990, pág.19)
O"*************************************************************************
O objecto efectivamente não é uma moeda, mas também não uma medalha. Como se explicou na página Site intitulado “Curieuses deuvres d’art“, se trata mais bem de um “jeton”, ficha, cunhada provavelmente no 1656. São muitos os “jeton” deste e outros tipos que se podem ver (e comprar) no lugar Site de CGB Numismatic.
Estás fichas não tinham um verdadeiro valor como o das moedas, mas tanto se pareciam a estas que era fácil poder enganar aos mais tolos.
Assim nascem vários ditos franceses inspirados sobre estes objectos, como por exemplo “mais falso que um jeton”, ou também quando uma pessoa era demasiado idosa podia ser chamada “velho jeton” pelo facto que estes se consumiam facilmente.
Durante a idade média eram usados em operações de cálculos e de contabilidade entre os entes religiosos; depois, nos séculos XIV e XV, voltou-se de moda entre nobres e eclesiásticos fazendo-os cunhar com o próprio nome e escudo, sempre baixo o uso de contabilidade e retribuições internas.
A partir da época de Enrique IV, estas fichas foram usadas como objectos de prestígio, as chegando a cunhar em metais preciosos.
O período de maior difusão destas chega com o século XVII, decoradas com frases em latim, brasões ou com figuras alegóricas inspiradas à antiguidade clássica. Com o passar do tempo, dá-se-lhes cada vez menos uso em contabilidade e retribuições, e assim se convertem em signos de adesão das classes dominantes da que faziam parte.



Sobre as fichas também podiam ser representados personagens famosas, podiam celebrar alianças entre grandes famílias ou eventos de política internacional. No período de Luís XVI os jetones começaram a ser a cada vez menos difundidos, e seu uso foi-se limitando só ao conselho de administração, como métodos de confirmação dos accionistas. Ainda se diz “jeton de presença”, quando se refere a um reembolso por despesas de cargos administrativos.
Não sabemos qual imagem aparece no outro lado da ficha em estudo, mas podemos imaginar que não era uma figura muito diferente daquelas que apareceram noutras fichas com o mesmo “misterioso escudo no céu”( Mystérieuse scéne avec um bouclier céleste au reves).
******************************************************************
Nesta vemos a justiça que tem uma espada na mão e a balança na outra, mas a seus pés uma personagem derrama uma carteira com moedas. Quase parece uma ou historieta satírica: A justiça vende-se por dinheiro?
Em outra versão, sempre em vendas no mesmo catálogo CGB Numismatic, sobre a outra cara do jeton aparece o escudo da França e Navarra. Nas descrições deste catálogo numismático a frase “OPPORTVNVS ADEST” é traduzida em francês: “Il est présent à propos”, ou seja “É presente ao momento oportuno”, mas a palavra “adest” em latín além de querer dizer: “ser presente”, “ser propício”, também significa “ajudar, assistir, favorecer” e é neste sentido que a usa Cicéro quando fala de advogados que defendem a seus clientes.
Muitos “jeton” deste tipo continham representações alegóricas, mitológicas e é precisamente na mitologia, onde se encontrou uma referencia literária que pode explicar a natureza daqueles objectos redondos que se encontra entre as nuvens e a terra.
Efectivamente isto poderia representar o “Ancile”, o escudo sagrado enviado por Júpiter ao rei de Roma Numa Pompeio.
A lenda é narrada em diversas versões, aquela de Oviedo (“Fasti” Livro III) onde conta de Numa Pompeio que teria decidido de interrogar a Júpiter para se fazer revelar o segredo, para assim poder defender de seus raios. Júpiter pede em mudança do segredo um sacrifício humano, mas Numa que é homem pacífico o recusa. O rei, com jogos de palavras, consegue enganar a Júpiter. Depois Numa teme a ira do deus, mas este em vez de se irritar se ri do talento do rei e lhe promete para o dia seguinte a revelação de seu segredo. No dia depois Numa Pompeio, convocou a todos os representantes dos bairros de Roma e a médio dia, como tinha prometido, tenho aqui que raios estremecem o céu desde o qual Júpiter lança um escudo oval, que cai justo em seus pés. O mesmo Júpiter faz saber a todos que Roma já nunca mais teria tido que temer a seus inimigos, mas baixo a condição de que o escudo devia ser bem protegido. O rei, para agradecer ao deus, faz sacrificar uma jovem e leva o escudo até o sagrario de sua própria casa, mas por medo de que a este lho pudessem roubar, faz construir outras idênticas onze cópias pelo artesão Mamurio Veturio (que significa “velho Marte”), ordenando depois que fossem levadas pelos Salis durante a Procissão anual do 2 de Março.



Segundo Dionigi dei Alicarnasso o império do mundo era destinado à cidade que conservava o Ancile (Nota: Ancile é o nome do escudo o mesmo que Egida mais adiante). Tenho aqui outro jeton francês do século XVII no que vemos como o escudo protege de raios que saem das nuvens (ver fotos)
Nota:
Colaboração de Ignacio Valdés Mellado
IIEE da Itália
Conclusões:
- A interpretação que seja um Ovni o que representa estes jeton, é pouco sostenible e incerta.
- VAMOS ESTAR AQUI NO MOMENTO OPORTUNO é uma tradução totalmente livre e adaptável aos interesses do Sr. Mausan. As interpretações podem ser diversas, mais em uma língua como o latín, e como se empregava nestas manifestações escritas nestes "medalhões" antigos.
- As representações destes jeton eram habituais como se desprende do escrito de acima, e há suficientes peças que correm entre coleccionistas, se compram e vendem, e não existem peças únicas como expressa o repórter mexicano.
- Recorrer ao Vaticano como fonte de inesgotáveis segredos cai por seu próprio peso na alusão no repórter. É um recurso já muito usado.
- A explicação de uma representação mitológica de um escudo sagrado enviado por Júpiter é bem mais razoável que o sustentado pelo Sr. Mausan, mais ainda, quando se explica as interpretações e sentido diversos da frase, e o que eram estes "medalhões" no século XVI.
- Consultados numismáticos profissionais e filatélicos europeus nenhum tem expressado ver um Ovni nesta alegoria, senão uma representação mitológica que levam estes jeton, alguns com criticas à justiça ao reverso ou assuntos sociais da época.
- Só nos fica acrescentar que existem outras formas para promocional conferências, pois tudo indica que por estas rotas é a clarificação de um Ovni, nestes "medalhões, insígnias ou moedas antigas" como as que se vêem nestas fotos, e que não são tão estranhas como no-lo querem fazer parecer certas pessoas relacionadas com a divulgação da Ufologia comercial.


Equipe Redacção
NOUFA-CHILE

Tradução Espanhol Português.
Aparentium

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

OVNIS EM CAMPO GRANDE "BRASIL"




Este é um trabalho elaborado pelo Sargento Vadir Mendes Marques, reformado da Força Aérea Brasileira.
Um notavel trabalho muito bem elaborado a nível de filmagem e registo.

Espero que este vídeo sirva de exemplo para todos aqueles que queiram efectuar filme sobre Objectos Voadores Não Identificados.

O procedimento e enquadramento de pontos de referência ajudam a ter uma percepção da distância, algo muito importante e fundamental durante uma filmagem.
Vídeos como este são uma raridade.

Se tiver um vídeo com algo semelhante, queira nos enviar para análise e partilha.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Ovnilogia de Portugal na Radio Dimensión Insólito "Madrid Espanha" 25/02/2011

Informo todos os interessados em Ovnilogia que no dia 25 deste correte Mês Fevereiro ás 18:00h hora espanhola, 17:00h, hora portuguêsa, estaremos em directo na Radio Dimensión Insólito, onde o tema será a Ovnilogia Portuguesa, Projecto F.A.O.E - Fotografia Aerea Onde Estiver, entre outros assuntos.

Para os amigos do Brasil a hora da programação passará por volta das 14:00h.

Pode nos escutar online através do Blog Dimensión Insólita  http://dimension-insolita.blogspot.com/

Pincha sobre la imagen para escuchanos en directo

No Blog só terá de clicar nesta imagem

Se não abrir terá de colocar codecs no seu computador



domingo, 20 de fevereiro de 2011

Casos resolvidos

No mundo do mistério há milhares de casos e fenómenos que continuam chamando a atenção e causando grande expectativa entre seus seguidores a nível mundial.
Desde os chamados “ovnis invisíveis”, os círculos das colheitas ou grama, até os animais crípticos são casos que seguem mantendo em suspenso a mais de um aficionado que acha que neste mundo há algo para além do que está escrito.


Mas, ao que parece, são verdadeiramente poucos os que sabem que dentro do mundo do mistério há vários casos resolvidos e inclusive casos fechados, mas que seguem sendo sacados à luz por diferentes meios de comunicação, e “pesquisadores”, fazendo que a gente ache que seguem abertos e sem resposta, em poucas palavras, que seguem sendo um mistério, o qual é falso.
Recordemos que o principal objectivo da investigação de todos os temas de mistérios é desmistificarmos, assim é, que deixem de ser mistérios.
Que em lugar de um grande e interessante dúvida, tenhamos resposta mais objectiva da solução ao fenómeno em questão.

Bom, vamos por partes:
Muitos recordarão o famoso caso dos rods, sim, esses supostos insectos que podiam voar a velocidades impressionantes e que a simples vista não podiam ser vistos, e que só com a câmera de vídeo se podia captar suas imagens, mostrando o característico movimento de suas asas, que descreviam um aparente movimento ondulatório.
Mas ao passar dos anos, e com o avanço da tecnologia, confirmou-se que tais criaturas não existiam e que o fenómeno da “transrodização”, como o chama o pesquisador Leopoldo Zambrano, quem demonstrou que era o que realmente gerava a ilusão óptica que dá por resultado aos famosos rods.
Em conclusão os rods, não existem, só é um efeito visual das câmeras de vídeo que gera ao passar em frente à lente alguns insectos voadores comuns e correntes, sua imagem se alonga e dá a aparência de rods.



As Orbs são outros famoso fenómenos que em algumas partes seguem dando de que falar.
Para alguns se tratava de supostas entidades aéreas ou sobrenaturais que nos vigiam e que inclusive podem ser chamadas ou invocadas.
Mas tudo isto resultou falso depois das descobertas realizadas por vários pesquisadores, entre eles o pesquisador Tomás Amador, quem descobriram que as Orbs não só se trata de pequenas partículas de pó, pólen, e inclusive água suspendidas no ar, e que graças ao flash das câmeras fotográficas dão a aparência de pequenas esferas que nos rodeiam, mas em realidade só é o efeito visual causado pela luz do flash reflectido nessas partículas.
Os Orbs são um caso resolvido.


Orbs

Outro fenómeno que tem sido de grande interesse para alguns supostos investigadores, é o dos “ovnis invisíveis” ou “fortuitos” que tanto chamaram a atenção, mas que alguns falsos investigadores seguem utilizando este mito para ganhar fanáticos ao tema dos ovnis.
Estes falsos ovnis são as imagens de aves, insectos, etc., que são captados acidentalmente no momento de fazer a fotografia, a testemunha diz que não o viu ao fazer a foto e que “misteriosamente” apareceu ao a revisar no computador.
Esse conto já está muito queimado pelos seguidores deste mito.
Várias investigações têm demonstrado, entre elas as da pesquisadora Ana Luisa Cid, que estes supostos ovnis não merecem esse qualificativo, pois tão só se trata de aves, balões, insectos ou outras coisas captadas sem que o fotógrafo em turno se perceba de que estão passando em frente a ele.

Isso revela falta de atenção ao tomar a foto, não é nenhum fenómeno do outro mundo.


Investigadora Ana Luisa Cid

Um fenómeno mais que já tem sido devidamente desmistificado, mas que segue causando expectação entre algumas pessoas, são os chamados agrogramas, círculos das colheitas (Crop Circles ) ou sinais.

O mito dizia que eram desenhados por ovnis e/ou seus tripulantes nos campos de colheitas para deixar uma mensagem de “sua presença” no nosso mundo, mas todo tem resultado ser uma fraude.

Numerosas demonstrações e investigações têm confirmado que tão só se trata de obras de arte de pessoas bem organizadas, e que tudo é devidamente planejado para gerar o mito.
Desde o seleccionar o pastizal, pôr-se de acordo com os donos deste pára que digam que não sabem nada, até os ganhos que produzirá as vendas de revistas e documentários sobre esse tema.

Em fim em todo um plano de mercadotécnia, mas é falso.

Mais adiante seguirei com outros temas e fenómenos que já têm sido devidamente resolvidos e desmistificados.

Mas pelo momento, despeço-me.

Que tenhas um desmistificante dia!


Sr. Belduque

http://www.info7.com.mx/editorial.php?id=1630&secc=19




Os mistério da Serra da Arrábida “Setúbal”

Durante anos a Serra da Arrábida cidade de Setúbal, permaneceu num dos maiores mistérios do País relacionada mente aos fenómenos insólitos ocorridos na mesma.


Existiram inúmeras observações de Ovnis, luzes estranhas que se deslocam sobre a Serra de uma forma muito sureal.
.
Ainda um relato de abdução de pai e filho na Serra junto á costa marítima enquanto efectuavam uma noite de pesca desportiva.


Numa madrugada do mês de Julho de 2002, cerca das 02:00h da manhã, Carlos e Pedro Coelho, pai e filho, decidiram deslocar-se á fortaleza do séc. XIV, situada na localidade de Outão, concelho de Setúbal, para uma pescaria nocturna.




O local é frequentado por pescadores que se refugiam naquela zona sossegada, aproveitando para descontrair e relaxar, enquanto observam a magnífica foz do Rio Sado, onde se tiverem sorte, podem ainda observarem golfinhos.

Porem, nessa noite, a pequena praia encontrava-se deserta. Pai e filho preparam as suas canas de pesca para um momento de lazer e sentam-se perto do mar a conversar.
Por volta das 01:45h, ambos observaram dentro do mar, a cerca de 15 metros da costa, uma luz com cerca de dois palmos de diâmetro, e muito perto da superfície.

A luz parecia ser uma massa luminosa circular, de cor verde florescente, uniforme e com um foco de luz que apenas iluminava num sentido ascendente, em direcção á superfície.
Subitamente, a luz começou a deslocar-se em linha recta, a uma velocidade moderada, até ter ficado estacionária a cerca de 3 metros da costa.
Estupefactos com o que estavam a observar, Pedro decidiu apontar na direcção da luz o foco da sua lanterna que trazia consigo.

Ao fazê-lo, puderam constatar que por detrás da luz e a alguns metros dela, encontrava-se um grande turbilhão na água, também circular mas consideravelmente maior que a luz, e que deu ás testemunhas a sensação que algo estava prestes a emergir da água.
Assustados e desejosos de alguma distância da luz, abandonaram a praia através das rochas e subiram para um miradouro da fortaleza que existia mais acima.

Aí puderam observar que o turbilhão tinha desaparecido e que a luz começava afastar-se, em linha recta na direcção do oceano.

Neste momento, Carlos Coelho decide acender um "verylight" pequeno, dos que se costumam colocar na ponta da cana para durante a noite ver o peixe morder.
Apontou-o na direcção da luz e realizou diversos movimentos com ele.

Como que respondendo, o objecto voltou a regressar na sua direcção, posicionando-se á sua frente e começando a acender e apagar, não numa sessão regular, mas sim irregular, sem padrão aparente, numa sequência que as testemunhas descreveram como, semelhante ao código Morse.

Esta interacção com a luz durou sensivelmente 30 minutos, e Carlos desenhou com a luz do verylight que deixa rasto, figuras geométricas e números.

Foi todavia quando Carlos realizou um movimento errático com o verylight, que a luz começou a mudar de cor, passando do verde para o amarelo, para o laranja e depois para um vermelho muito intenso.

Nesse momento ouvem um estrondo como de trovoada seca, Pedro vira-se para trás e vê na direcção da Serra da Arrábida, um clarão ou relâmpago branco que o cegou temporariamente, tendo nessa altura o céu adquirido uma tonalidade vermelho eléctrico, que depois se dissipou. Após este fenómeno a luz retomou a sua tonalidade original.
Assustados e com a sensação de que a luz não teria gostado desta interacção, decidiram ir-se embora não tendo observado o seu desaparecimento, que seguia rumo ao mar (ufologia.blogspot.com).
 
MISTÉRIOS DA SERRA DA ARRÁBIDA


(Por Rui Palmela)

Recordo-me de ter ouvido em tempos uma história verídica sobre um grupo de escuteiros da região de Setúbal que tiveram uma experiência insólita no interior da Serra da Arrábida onde penetraram através duma gruta que supostamente seria a conhecida 'Gruta do Abade' e caminharam por um túnel de vários kilómetros que, segundo se diz, atravessa a Serra-Mãe (assim a chamava Sebastião da Gama), dum lado ao outro. Só que, a meio do caminho, teriam encontrado algo muito estranho e fabuloso que os levou a manter segredo durante muito tempo daquilo que viram.

Com base no que conheço de vários outros episódios estranhos passados na Serra da Arrábida, e pretendendo escrever algo sobre o assunto, resolvi tentar saber junto do Corpo de Escutismo de Setúbal algo documentado sobre a história, ao que me disseram que nada possuiam em virtude de terem perdido imensos documentos aquando duma cheia na cidade há vários anos atrás, tendo ficado apenas esses relatos na memória dos mais antigos que teriam falado pouco do caso que no entanto foi passando e sendo conhecido vagamente.

Assim, indicaram-me então o escuteiro 'Nix' da zona de Azeitão onde me dirigi e estive falando com ele sobre o assunto, pois que segundo me disseram era o único mais antigo que poderia saber alguma coisa sobre o caso. Na verdade ele o confirmou por ter sabido também de outros escuteiros mais velhos que contaram essa história passada no interior da Serra da Arrábida no túnel onde o grupo de aventureiros pretendia atravessar. Conta-se, pois, que a dada altura eles teriam visto uma claridade ao fundo do túnel por onde caminharam muito tempo e pensando que era já o outro lado da serra, não era senão um espaço enorme subterrâneo com várias construções que pareciam ser duma cidade antiga abandonada e a luz ambiente vinha das próprias rochas que formavam as paredes da enorme gruta.

A história só teria sido conhecida após muitos anos dessa experiência, pois os escuteiros mantiveram o segredo por motivos óbvios para salvaguardar talvez o local de invasores ou ‘profanadores’que o tomariam decerto com fins menos próprios, e quiçá muita coisa destruiriam como de resto se passou com algumas grutas ou mesmo ‘respiradouros’ de passagens subterrâneas que foram descobertos nas pedreiras de Sesimbra, e foram desfeitos com cargas de dinamite antes que alguém da Arqueologia soubesse e a pedreira fosse encerrada ou proibida de avançar na extracção do granito ou calcário. Mas isto é a minha suposição pessoal, claro!

Doutro modo conheço o que se passa por exemplo quando fazem rebentamentos na Pedreira e se repercute debaixo de solo até à Qtª de El Carmen a vários kilómetros de distância, no lado Poente da Serra da Arrábida, onde não se consegue abrir um poço por causa disso e as paredes exteriores da capela (pertencente ao edifício residencial antigo ali existente) racham por acção das ondas que se propagam debaixo do chão e estremecem as construções na zona devido à existência de vários túneis a certa profundidade.

Enfim, na conversa havida com o tal escuteiro 'Nix', vários casos de fenómenos estranhos ele me contou também, sendo um deles quando estava na Serra com um grupo de escuteiros numa noite a ver a chuva de meteoritos anunciada há uns anos atrás nos órgãos de comunicação social, e ele viu uma bola luminosa ou pequena esfera (tipo "foo-figthers" que eram relatadas pelos pilotos durante a 2ª Guerra Mundial) vir na sua direcção tendo batido nas rochas junto a si e saltitado várias vezes como se fosse uma bola de ping-pong durante cerca de 15 segundos e desapareceu de sua vista. Ele atribuiu isso ao facto da Serra ser uma zona fortemente magnética e teria atraido algo que não seria um meteorito mas outra coisa qualquer que não soube explicar.

A verdade é que também já foi observado sobre o mar, frente à Serra, 3 circulos luminosos testemunhados pelo próprio guarda do Convento da Arrábida (sr. Quirino) e por um grupo de 10 pessoas na praia do Creiro (entre Galapos e Portinho da Arrábida), onde se encontrava a conhecida escritora Gilda Moura, autora do livro "Extase - O Rio Subterrâneo". Todos viram os "circulos" surgidos do mar, como se viessem do fundo do oceano, e desapareceram no céu entre as nuvens. Do mesmo modo, foi observado em tempos um OVNI que apareceu no Rio Sado, frente ao antigo Parque de Campismo, onde um homem mais o amigo viram um objecto luminoso muito próximo que não emitia ruido algum, apenas um zumbido (como é caracteristico) tendo mergulhado depois e desaparecido na água.

O facto é que precisamente naquela zona as bússolas deixam de funcionar como se houvesse um campo magnético a interferir que também interfere nas transmissões de rádio. O meu pai que foi contra-mestre da Marinha Mercante durante muitos anos me confirmou isso, pois ali só se poderiam orientar pelos faróis da barra durante a noite e pelas bóias de sinalização durante o dia. É curioso também haver no alto da Serra da Arrábida 3 cruzes em pedra no sítio onde as nuvens de trovoadas se afastam umas das outras como se uma força interna as forçasse a isso... É sabido também que o Convento está localizado sobre um triângulo magnético na serra com o vértice voltado para baixo conferindo ao local uma poderosa energia que transmite paz e sensação de bem-estar a qualquer pessoa que ali esteja!

Mas não saindo do assunto inicial, que tem a ver com a história da 'gruta do Abade', eu perguntaria quem teria escavado aquele túnel de vários kilómetros de comprimento (sete pelo que se sabe) e outros mais que bifurcam uns nos outros, com respiradouros para a superfície? E que construções estranhas eram aquelas desconhecidas que teriam sido habitadas em tempos e por quem? Mais estranho ainda é o facto de se dizer que a Serra de Sintra e Arrábida estão ligadas uma à outra fisicamente a vários kilómetros de profundidade, passando muito abaixo do Rio Tejo, sendo ambas 'ôcas' por dentro como se sabe.

Já agora, que dizer do misterioso desaparecimento do jovem João Tiago (escuteiro caminheiro) que foi visto pela última vez na zona do Portinho da Arrábida e até hoje não apareceu, nem o cadáver, nem a bicicleta que levava com ele?
Lembro que participaram na busca centenas de pessoas (Bombeiros, GNR, Escuteiros e populares) que procuraram por toda a serra o jovem que nunca chegou a aparecer.

Outros mistérios ocultam a Serra que o próprio Frei Agostinho da Cruz escolheu para terminar seus dias como o poeta da Arrábida que um dia escreveu:

Existem muitos outros casos aqui não especificados envolventes á Serra da Arrábida:

Cidade de Setúbal

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

ALERTA VÍRUS



Quero alertar todos os leitores e seguidores do Ufo Portugal, que circula um E-Mail com vírus na WEB.






Se receberem um Mail com ( OVNIS VERDADE OU MENTIRA?? ) não abrir, eliminar imediactamente.
Este vírus ao se apoderar do seu computador enviará mensagem para todos os seus contactos acabando por os infectar também.


A mensagem surge com a seguinte frase:
Viva

Ao que consta , dos mais difíceis vídeos de provar
que o objecto que aparece na imagem não é
um verdadeiro ovni de verdadeiros seres extraterrestres..
A todos que apreciam deixo aqui o link.

Não abrir o link ciencemovies que é onde está alojado o vírus.

Este vírus veio de alguma forma a ser um transtorno, devido a enviar Mail´s sem o nosso conhecimento, fazendo crer de quem o recebeu que foi de nossa autoria e conhecimento.
Informe os seus amigos e comunidades na Internet.

Nuno Alves

DEUSES OU CIVILIZAÇÕES DAS ESTRELAS?



Á Esquerda Abel Moreira, Direita António Alves


No dia 28 de Janeiro, realizou-se na FNAC de Almada, pelas 21:30h a apresentação da obra: "Deuses ou Civilizações das Estrelas?" do autor António Alves.


Nesta apresentação esteve também presente Abel Moreira que teve como principal acção chamar a atenção dos presentes, para as alterações que estão a decorrer no mundo e como estas poderão ser uma preparação para futuro encontro com outras civilizações.


Toda a investigação, resultado de um trabalho de mais de trinta anos, António Alves, relata também no seu livro as experiências, fruto do contacto com outras entidades.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

OVNI de Jerusalém - Mais uma fraude virtual desvendada

Nas ultimas semanas foi criado algum furor em relação ao Ovni de Jerusalém que levou muitas pessoas acreditar no fenómeno.
Mesmo depois de ter sido divulgado neste Blog a FAKE manipulação digital do mesmo, segue a matéria da Revista UFO do Brasil que também desvenda o mistério.

 YAHOO

Reprodução


A última febre da rede estava sendo considerada até um 'aviso de Deus' para os recentes protestos da população no mundo árabe.



Novamente, mais uma falsificação rondou os computadores de todas as classes sociais, culturas e credos, causando estardalhaço e sendo espalhada mundialmente através da Internet - mais precisamente no famigerado Youtube.


Três vídeos simultâneos foram lançados, supostamente captados de ângulos e pessoas diferentes no dia 28 de janeiro, contando a história de um UFO que teria pairado sobre um importante e singular santuário, o Dome of the Rock [Domo da Rocha], localizado em Jerusalém (Israel). Tais imagens envolveriam turistas que ali estariam videografando a paisagem.

Desde o princípio, achávamos que se tratava de um novo trote virtual [Fake ou hoax], inclusive alertando diversas comunidades no meio ufológico, principalmente devido às falhas amadoras nas montagens, perfeitamente perceptíveis. Parecia claro o engodo engenhosamente disparado em todas as direções. No entanto, mesmo com os avisos, ninguém segura os boatos e ocorreu o efeito almejado por seus autores, o big-boom na rede, a partir do dia 29 de janeiro.

No Google, digitando "UFO jerusalem", este autor se defrontou na tarde do dia 05 de fevereiro com 2.340.000 (isto mesmo, dois milhões, trezentos e quarenta mil) resultados! Deixando de lado as cerimônias e indo direto ao ponto, um resumo dos vídeos pode ser assistido clicando-se aqui. A estória, para quem ainda não ficou sabendo, será facilmente encontrada por todos os lados e fontes variadas.

Decifrando a farsa


Já que foram três os vídeos, fizemos questão de encontrar o mesmo número. Todavia, ao contrário do engodo, desmascarando indubitavelmente a encenação toda.

Fake, 1º ato - Demonstração de como é simples inserir um UFO ou ponto luminoso em qualquer imagem:



Fake, 2º ato - O horizonte (cena de fundo) não era ao vivo, mas sim uma tela (TV ou pc). Pode ter sido filmada no local e manipulada posteriormente, ou mesmo alguma foto do panorama utilizada, há uma exatamente similar na Wikipédia. Por gentileza, acesse esta imagem, clicando aqui. Ainda, um exemplo comparativo com a paralaxe e perspectiva da cena pode ser assistida clicando-se aqui. Abaixo, o segundo esclarecimento:



Fake, ato final - Agora, assista ao derradeiro conteúdo que colocaria um final definitivo em toda esta estória.



Este autor traduziu a explanação, para que possa ser compreendida, sem dúvidas:


"Ao estabilizar o vídeo, a primeira coisa que você nota é a falta de luzes, luzes em movimento, ou luzes cintilantes. Exceto para o UFO. Isso é porque não é um vídeo, é apenas uma figura! É muito mais fácil adicionar fakes para fotos que para vídeos.

Agora atente quando a câmera dá o zoom dentro. Percebeu isso? Vê todas as linhas? Todos os quadrados? As linhas são as pequenas lacunas que existem em cada pixel quadrado de um LCD ou um monitor de computador.

Se você tem uma visão da tela LCD, olhe-a de perto. Se não, aqui é uma comparação da ATS na minha tela LCD. Imagem em linha reta a partir do vídeo.

Assim, todo o vídeo foi filmado olhando para uma tela de LCD.

Mas por que a câmera parece que estava procurando alguma coisa? Por que a câmera balança tanto? Para fazer você pensar que o vídeo era real. Para adicionar o efeito dramático. E enganou você.

E quanto a todas aquelas pessoas que se ouve no fundo? Todas aquelas pessoas olhando para uma tela de LDC? Não. Os sons se uniam a partir de fontes diferentes para o efeito lhe fazer acreditar que havia testemunhas. Não havia nada! Ouça atentamente o áudio. A mudança imediata do som? Encontraremos nove pontos, com efeitos sonoros completamente diferentes, mas foram exageradamente cortados e esmagado junto.

Devemos mencionar também os flashes. O primeiro vídeo tinha falsos flashes e o segundo flashes falsos [Ironizando mesmo]. Mas o que aconteceu com os flashes falsos sobre o terceiro vídeo? É uma farsa!"

Recentes atualizações - surge quarto vídeo

Descobrimos nesta segunda-feira (07), que outro vídeo fora postado no dia 02 de fevereiro, o quarto, igualmente forjado, confirmando a possibilidade de uma literal "série" viral em andamento. Assista-o clicando aqui. Investigando um pouco mais a fundo, percebemos que talvez o 'pré-lançamento' ou algum dos testes iniciais tenha tido origem ainda em dezembro. Encontramos este vídeo, inserido pelo usuário no dia 21, diurno e com a presença de um UFO fortuito claramente digitalizado:



Embaraços e constrangimento


Há uma grande diferença, incomensurável, entre imagens que possuem fontes, autores detectáveis, endereços de contato disponíveis, a disponibilização das filmagens originais - direto da câmera, imprescindíveis - e conteúdos de sites de vídeos ufológicos, onde vale tudo e absolutamente nada se informa.

Notavelmente, as pessoas não se conscientizam das armadilhas e situações constrangedoras que acabam adentrando, acreditando no que rola por aí sem o mínimo senso investigativo ou ao menos um pouquinho de boa vontade para averiguar informações confiáveis.

O que custa, afinal, realizar uma pequena investigação antes de simplesmente crer e passar adiante essas coisas?

Crédito: minhamestria


Muita gente acha que está 'trabalhando' para ajudar, mas pode não ser bem assim. É necessário senso crítico, senão não sairemos da neblina.

Todos os créditos informativos desta matéria a cargo da Revista UFO.
http://www.ufo.com.br/noticias/ufo-de-jerusalem---mais-uma-farsa-virtual-desvendada

Agradecimentos ao consultor da Revista Paulo Poian.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Dogons, o povo das estrelas


Os conhecimentos cosmogônicos e astronômicos deste povo, os dogon, que hoje ultrapassam pouco mais de 200 mil indivíduos, não se limitam, contudo, a meras observações visuais do céu.
Eles sempre souberam da função do oxigênio do corpo e da circulação do sangue, coisas que a ciência ocidental só descobriu em tempos modernos.
Conheceram também os mistérios das principais estrelas do céu e das luas do Sistema Solar sem nunca terem manipulado telescópios.
De onde teriam adquirido tantos conhecimentos superiores?

Teriam-nos recebido dos Povos dos Céus?
Ou de alguma civilização avançadíssima do passado?
África – Na República do Mali, região do antigo Sudão francês, África Ocidental, a 200 quilômetros ao sul da cidade de Timbuktu, um abismo de 300 metros de profundidade formado pelas escarpas Bandiagara é a porta de entrada para a terra do povo Dogon.

Esse antigo e pacífico povo ali se radicou por volta do século 13 e permaneceu isolado até as primeiras décadas do século 20, mantendo intacta e praticamente inalterada sua rica e sofisticada cultura.
A aridez do meio ambiente – 40 centímetros de chuvas anuais nos meses de Abril e Maio e temperaturas de até 60 graus -, castigado por estar situado justamente na passagem do Saara para as savanas do sul, obrigou-os a construírem engenhosas casas de pedra e barro de forma cônica, cobertas de folhas que ajudam a amenizar o calor escaldante, e pequenos celeiros onde armazenam a escassa produção que o solo pouco generoso fornece: algumas espigas de um tipo especial de milho, de grãos pequenos, cebolas, amendoim, algodão e fumo.

Aldeia Dogon


Às mulheres cabe a tarefa de buscar água, encontrada somente em poços na base dos penhascos, e carregá-las para cima em potes de barro que, vazios, chegam a pesar 20 quilos.
Em compensação, elas granjearam o direito de preparar cerveja a partir do milho e vender o excedente na feira semanal da aldeia, que acontece de 5 em 5 dias.
O que arrecadam é usado para comprar os tecidos coloridos com que confeccionavam suas roupas. Vaidosas, elas serram os dentes, que se tornam pontiagudos, e traçam incisões no corpo.
GRIAULE – No fim da estação da seca, as chuvas caem quase que de uma só vez.
O cenário muda então completamente: do alto dos penhascos surgem quedas d’água, formando rios na planície. É o tempo de plantio.

Em poucas semanas, o que era um deserto se transforma em um paraíso verdejante.
Em 1931, o antropólogo francês Marcel Griaule visitou a tribo dos Dogon, construída basicamente por camponeses, artistas e feiticeiros, e ficou ao mesmo tempo confuso e fascinado com sua mitologia altamente complexa e intricada. Em 1946, Griaule retornou em companhia da etnóloga Germanie Dieterlen. Ambos publicaram os resultados dos seus 4 anos de pesquisas de campo na obra Un système soudanais de Sírius (Paris, 1951).

Nesse trabalho, frisaram que os Dogon, mesmo desprovidos de recursos ópticos, tais como o telescópio, tinham pleno conhecimento da natureza dupla da estrela binária Sírius. “Jamais se fez e nunca se decidiu a respeito da pergunta: de onde esse povo, que nenhum instrumento possui, poderia conhecer a órbita e os atributos específicos dos astros, praticamente invisíveis?”
DADOS ANTIGOS – Em 1976, foi lançada em Londres uma obra que acabaria inevitavelmente sendo apropriada pelos defensores da teoria dos “deuses astronautas”, mormente, Erich von Däniken (veja o livro Provas de Däniken: deuses, espaçonaves e Terra).

The Syrius Mistery, do lingüista norte-americano especialista em sânscrito da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia (EUA), e membro da Royal Astronomical Society, Robert K. G. Temple, autor de O Mistério de Sírius, expunha e analisava mitos que falavam dos habitantes de um planeta que orbita ao redor da estrela Sírius, os quais teriam aterrissado na Terra em eras remotas, inaugurando a civilização.
Segundo Temple, os dados dos Dogon, que descenderiam cultural e biologicamente dos egípcios, remontariam há 5 mil anos e fariam parte do cabedal egípcio dos tempos pré-dinásticos.
Ao desenhar diagramas da órbita de Sírius B, com base em dados tirados dos mitos Dogon e seguindo as mais recentes pesquisas astronômicas, Temple constatou que “A semelhança é tamanha e surpreendente, a ponto de até o leigo mais inexperiente reconhecer à primeira vista a perfeita identidade das duas apresentações, até nos menores detalhes.



O fato ficou demonstrado e ei-lo: a tribo Dogon possui noções gerais dos princípios mais incríveis e sutis de Sírius B e, em sua órbita, de Sírius A.
Portanto, revela-se aí absoluta paridade do saber atual em relação com as noções encerradas em mitos antiqüíssimos!”

RAÍZES LONGÍNQUAS – A doutrina secreta dessa tribo informa que o nosso mundo terrestre surgiu da Constelação de Sírius B. Propriamente não de Sírius B, mas de uma estrela pequena e branca, situada próxima dela, possivelmente Sírius A.
Suas lendas e tradições transmitem essa informação de geração em geração há milhares de anos e, durante todo esse tempo, vêm realizando rituais para a estrela que os criou.
Os sábios Dogon dizem que essa estrela dupla é ao mesmo tempo a menos e a mais pesada do cosmo.
Os astrônomos calculam que realmente a sua massa é 36 mil vezes mais pesada que o Sol e 50 mil vezes mais densa que a da água.
Seu diâmetro é de 39 mil quilômetros, mas ela contém a mesma quantidade de matéria de uma estrela normal com um diâmetro de cerca de 1,3 milhão de quilômetros.
Uma caixa de fósforos cheia de matéria de Sírius B pesaria no mínimo uma tonelada.
Os Dogon creem que a terra ali consiste em algo chamado por eles de Sagolu, que significa “terra podre e metálica”.

CIÊNCIA CONFIRMA – Ocorre que essa estrela só foi descoberta pela ciência no século 19, e uma foto dela foi possível só em 1970.
Sírius B pertence à categoria das anãs – implodidas -, descoberta em 1862, não através de observações diretas, mas por meio de cálculos matemáticos.
Por estar quase acoplada à sua irmã gigante Sírius A, uma das estrelas mais visíveis a olho nu, a imagem de Sírius B confunde-se com ela, e só recentemente foi possível distinguir que havia duas estrelas no lugar de uma única.
Sírius B é mil vezes menos luminosa do que Sírius A e totalmente invisível a olho nu.
Ela só pode ser vista por meio de um telescópio de 320 milímetros, já que se encontra a apenas 11 segundos-luz de Sírius A.

PROFUNDOS CONHECEDORES – Sem nunca se terem valido de instrumentos ópticos, os Dogon sabiam da existência de quatro luas em Júpiter.
Na verdade, Júpiter possui dezenas de outras – são conhecidas 17 até o momento -, mas as maiores e as principais são realmente quatro: Io, Calixto, Ganimedes e Europa.
Além disso, sabiam também que Saturno é rodeado de um anel e que os outros planetas giram ao redor do Sol, e afirmavam que os mundos ao redor das estrelas que se movimentam em forma espiral (como a Via-Láctea) são HABITADOS!!!

Os conhecimentos desse povo, que hoje ultrapassam pouco mais de 200 mil indivíduos, não se limitam, contudo, à astronomia.
Eles sempre souberam da função do oxigênio do corpo e da circulação do sangue, coisas que a ciência ocidental só descobriu em tempos modernos.
Os dogon diziam que o movimento das estrelas podia ser comparado ao fluxo do sangue no organismo, denotando que estavam cientes da circulação sanguínea, fenômeno descoberto apenas no começo do século 17 por William Harvey. Eles reconheciam ainda a função do oxigênio nesse processo, cientes de que o sangue no corpo corre pelos órgãos que se encontram no ventre.

A CRIAÇÃO – Os Dogon acreditam que de Sírius A, flutuando em um “ovo dourado”, veio Amma, que criou a Terra. Mais tarde, Amma mandou os Nommo para o nosso mundo.
Nommo (os “Mestres”) eram seres anfíbios, capazes de se movimentar tanto na terra como na água. Eles teriam chegado a bordo de um veículo cuja descrição lembra a de uma espaçonave.
A maioria das sociedades tradicionais africanas, entre elas, a dos Dogon, encara o mundo como um todo integrado em que se relacionam aspectos sociais com o tempo e o espaço.
A vida social na sua totalidade insere-se numa constante busca de equilíbrio entre um sistema de forças que se expressam desde os tempos primordiais.

O que diz Samael sobre os Mistérios de Sírius
Em certa ocasião, estando eu, Samael Aun Weor, na estrela de Sírius, vi acolá algumas árvores penetradas cada uma delas por damas de uma beleza inefável e comovedora. Aquelas damas me chamaram para que me acercasse a elas; eram damas elementais encarnadas naqueles arbustos. Sua voz melodiosa era música de Paraíso: conferenciei com elas e logo me afastei admirado de tanta beleza.

Aquele planeta tem dilatados mares, e os habitantes desta estrela jamais mataram nem a um passarinho. Sua organização social seria magnífica para nosso globo terráqueo; se acabariam todos os problemas econômicos do mundo, e reinaria a felicidade sobre a face da terra.

 
 
Os sirianos são pequenos de estatura e têm todos os seus sentidos internos perfeitamente desenvolvidos; vestem-se simplesmente com túnicas humildes e usam sandálias de metal.
Todo o Siriano vive numa pequena casa de madeira, e não há casa que não tenha uma pequena horta onde o dono de casa cultiva os seus alimentos vegetais.
O dono também possui  um pequeno jardim onde cultiva flores.
Ali não vivem capitalistas nem tampouco existem cidades nem sem-terra; portanto, as gentes de Sírius não conhecem nem a fome nem a desgraça.
No jardim do grande templo do Deus Sírio existem roseirais desconhecidos em nossa terra, cada rosa desse jardim é de vários metros de tamanho, e exala um perfume impossível de esquecer.
A magia das rosas é algo divino e inefável.

Texto extraido do Site - http://www.gnosisonline.org/
Imagens Google imagens.

Penso que seja uma boa matéria para algumas mentes refletirem um pouco.
A nossa história tem casos super interessantes da qual um verdadeiro mistério para a ciência actual.


Novas luzes no céu de Varginha Brasil...

Luzes vistas em Varginha, enviada pela leitora Foto: Sofia Silva Araújo
Mais uma vez várias pessoas vêem luzes estranhas no céu de Varginha. Dessa vez as luzes foram vistas até em Carmo da Cachoeira e Paraguaçu.

A leitora Sofia Silva Araújo tirou fotos e enviou para o blog.
“Eu estava em minha casa, Condominio Cidade Nova.
Meu namorado me chamou no msn, e falou que tinha umas coisas estranhas no céu.
Fui lá fora correndo ver, e vi realmente umas coisas estranhas, parecidas com balões, bolas brancas.
Mas balões não pode ser, porque estava muito longe, e pra você ver, foi difícil tirar a foto.
Não sei direito o que era, mais fiquei muito curiosa”.


O controlador do tráfego aéreo de Varginha, Jari de Oliveira, disse que eram balões meteorológicos.
Ele disse ter visto, de binóculo, seis balões, em uma altura de aproximadamente 3.500 metros.
O Climatempo, serviço de meteorologia pela internet, não enviou nenhum balão meteorológico para o Sul de Minas.


O ufólogo Ubirajara Franco Rodrigues alerta para os balões com gás hélio. “Somente a Associação Comercial de São Paulo lançou 6 mil balões desse tipo, com propaganda, no final do ano”.


Ubirajara Franco Rodrigues

Informação - http://www.odiariodeminas.com.br/

Será que existem algumas semelhanças!
http://www.planetabalao.com/

sábado, 12 de fevereiro de 2011

UFO MATRIX 3 EDIÇÃO Uma Nova Geração



Revista UFO Matrix, Editoras 11th Dimension, Reino Unido
Editor: Philip Mantle
Editor Assistente: Malcolm Robinson
Diretor Editorial: Owen Amanda
http://www.healingsofatlantis.com/
Review Magazine Por: David P Kuhlman, FFSc
uforna.net
 
 

Philip Mantle
  Há apenas um pequeno número de publicações relacionadas com OVNIS lá fora, para o público em geral, a maioria dos quais, infelizmente, estão cheias de capa a capa com a desinformação, os anúncios da nova era a falar de asneiras , deixando o assunto em mãos, algo que o tema OVNI, poderá ser encarado como um assunto só para rir. Eles fazem pouco da seriedade e importância, que o fenómeno OVNI tem para muitos crentes e pesquisadores de todo o mundo. Eu quero ser um dos únicos a dizer, os tempos mudaram! Enter, "UFO Matrix" Magazine ....
Agora, eu realmente não estou certo quanto tempo "Matrix" foi uma ideia não expressa, ou estou ciente dos prazos de tentativa e erro depois que a ideia foi a tinta e papel, mas não importa quais os obstáculos que enfrentou seus pioneiros, durante sua infância, tudo era obviamente bem e meticulosamente planeado, ensaiado, pensada, corrigidos e enviados em movimento. A prova do trabalho árduo e intelectual, pode ser visto por si mesmo em cada cópia de "Matrix", que chega as bancas. Você vê, não só a publicação deste calibre tem que ter as pessoas certas no lugar, com cada um deles especialistas em seus campos individuais de transmitir este conhecimento em forma impressa, mas o documento como um todo deve desempenhar um papel vital como também. É preciso "fluxo" de informações, informações legítima para que se torne uma ferramenta respeitada por todos os que escolhem o polegar das suas páginas. O trabalho completo está longe de ser feito, mesmo após todo o trabalho de campo foi colectado, tem de ser lido, editado e estruturado na ordem em que caberá a cada tema abordado. Tendo em dez anos passados no negócio de impressão comercial no passado, eu estou bem ciente das enormes tarefas que estão envolvidas em uma publicação superior, como temos com a "UFO Matrix" Magazine. A organização de cada parte desta empresa é de alto padrão e mostra.
A revista em si é um local para se contemplar. Colorida, atraente de arte com um texto bem estruturado e ousado num papel fosco pesados material de capa acompanhar cada edição. A revista é cortado em um formato de fácil leitura e grande porte, tornando-se um prazer para a explorar. Não é uma peça frágil e delicada, lhes garanto. É evidente que a aparência revista em si foi criado com muito pensamento e qualidade da informação nas suas páginas, um prelúdio para o leitor, sem dúvida, única.
A organização de tal qualidade e informativa publicação sobre o fenómeno OVNI tem sido há muito tempo estruturada. A equipe por trás da "UFO Matrix" simplesmente não poderia ser melhorada. Uma base forte com anos de trabalho de campo foi construída, o tipo de fundação que não é simplesmente o desenho escolhido por palhetas aleatória. Tem sido meticulosamente construída a partir do zero, sem pedra sobre pedra. Por quê? Para manter firmemente esta publicação forte e confinável no conteúdo ao longo dos anos vindouros. Sim, "UFO Matrix" Magazine vai resistir ao teste do tempo e também vai ganhar uma reputação de algo que outras publicações têm dificuldade em fornecer, a investigação imparcial e notícias sobre o OVNI.
Quero elogiar o trabalho feito pela 11 ª Dimensão Publishing do Reino Unido.
Você não reuniu um dos, mas as melhores publicações impressas disponíveis sobre um fenómeno que os seres humanos aturdido por séculos. Temos as pessoas necessárias para este ano. Deixando de lado todo o lixo que continua a outras publicações litros é uma lufada de ar fresco em si mesmo. Eu não consigo imaginar ninguém confiar em qualquer outra publicação sobre informativos e informações actualizadas sobre o género UFO, excepto "UFO Matrix" Magazine. Este é certamente um avanço monumental em si, onde o jornalismo precisa e informativa está em causa. Estou ansioso para futuras pesquisas acompanhadas por esta publicação superior. Nenhum outro pode segurar uma vela para sua criação. Um trabalho bem feito!
UFO MATRIX também está disponível nas bancas no Reino Unido através de WH Smith e os EUA através de Barnes & Noble e Borders.


Ovnis e erros fotográficos




Segue um texto sobre a experiência fotográfica do Sr. Carlos Albertino, residente em França


No mês de Abril de 2009, parti para a reforma e os meus colegas de trabalho ofereceram-me uma pequena maquina fotográfica.

Comecei a fazer fotos no céu e vi que apareciam pequenos pontos pretos, achei estranho e comecei a analisar esses pontos, juntado contraste , luminosos, tirando reflexos e comecei a ver aparecer imagens que me encantavam.
Claro pensei, são OVNIS, consigo fotografar ovnis, formidável.
Comecei a mostrar a amigos e familiares e toda a gente me incitava a continuar, e cada vez havia mais fotos formidáveis.
Até que um dia comecei a pensar, è bom demais para ser verdade, porque essas imagens eram mais numerosas no verão que no Inverno, claro devido ao numero de insectos que no verão voam no céu.
Então comecei por regular a maquina em modo Paisagem, e tentava fotografar os pássaros que passavam perto da máquina fotográfica, e vi que as imagens dos pássaros eram desfocadas e depois de aplicar contraste, menos de luminosidade, reflexos etç.
Obtinha as mesmas imagens de (Ovnis) que antes.
Grande decepção mas imediatamente pensei, agora só filmo ou faço fotos ao que vejo primeiro com meus olhos no céu.
Então passei a procurar avistamentos, com uma boa maquina fotográfica e uma boa teleobjetiva de 250 mm. Tive alguns avistamentos, o ultimo que fiz está em analise num fórum em França, que se chama, LA PORTE DES ETOILES, estou à espera de uma resposta.
Não me vou permitir de dizer que são naves ET, porque não sou qualificado para isso.
Há pessoas que estudam o fenómeno de perto, eu gosto mais de procurar, sair , andar e presenciar o céu. Quando obtenho algo que me parece estranho, peço conselhos a quem percebe mais do que eu.
Ao mesmo tempo vou aprendendo com as pessoas que me explicam essas fotos.
Um simples balão, pássaro, avião, insecto, desfocado pode dar uma imagem formidável, mas não passa de algo corrente.
Mesmo uma pessoa que não tenha estudos no tema ovni, tem que ir aprendendo com quem sabe, e mais tarde o aluno pode passar à frente do Mestre, mas è preciso Modéstia.

Saudações
Cardoso Albertino


Segue as fotos desses erros más interpretações:




Agradecimentos ao Sr. Carlos Albertino.

ALJEZUR PORTUGAL OVNI!!! ANÁLISE....


Em Novembro de 2004 fui dar uma volta pelo Algarve.
Uma das terras que visitei foi Aljezur.
Lembro-me que estava imensa luz e decidi tirar uma foto em direcção ao castelo sendo que foi uma daquelas fotos em que com a luz nem olhei bem para o que tirava.
No entanto, mal vi a foto na máquina reparei num ponto estranho por cima do castelo.
Quando fiz zoom, apareceu o mesmo que se assemelha a um helicoptero se bem que com uma espécie de "patas" por baixo.
O que é estranho é que não ouvi qualquer som de helicoptero nem voltando a olhar para o céu vi qualquer movimento que indicasse.


Sempre tive curiosidade de saber o que era e por isso mando-vos a foto e digam-me o que acham.


Enviado pelo Sr. João Antunes.



Esta é uma das fotos muito comuns efectuadas pelas pessoas quando detectam algo na camera fotográfica.

O Sr. João menciona a muita luz existente quando efectua a foto e isso podemos ver nitidamente.
Podemos observar que existe um reflexo de Sol sobre as folhas da Palmeira na imagem, o mesmo acontece no Objecto a cima.



O mesmo se encontra na justa posição.
O excesso de luz sobre uma plumagem branca deixa uma luminosidade muito consistente.
Essa consistencia já provocou muitos erros quando a grande altitude se apresenta como esferas luminosas.
A luz mesmo projectada sobre outras cores que não o branco cria o mesmo efeito de luz refletora.

Segue o vídeo:



A plumagem destas aves apresenta um tom castanho e verde.
Mas com a justa posição em que a pessoa se encontra a efectuar o filme sobre aves e Sol, podemos ver que embora a plumagem seja castanha, existe o reflexo de luz Solar emitindo a referida luz.



Ampliamos a foto de forma de forma a podermos lhe adicionar alguns filtros.

Estes filtros nos permite eliminar algum excesso de luminosidade.
Assim podemos obter um maior contraste do objecto ou o que se encontra na atmosfera.
Desta forma o que se apresenta é sem duvidas uma ave que passou pelo local exactamente no momento em que efectua a fotografia.

É comum esta situação.
O rasto existente tipo trémulo é devido ao processamento de imagem obturador.
O programa não estava seleccionado para imagens em movimento o que apresenta este resultado.


Se a ave estivesse a voar na lateral seria esta imagem que iria obter na sua foto. 


O processamento lento do obturador quando efectua a recolha de informação de luz deixa estes erros de imagem criando efeitos de rasto.

Espero desta forma ter sido explicito para a sua duvida e das muitas pessoas com imagens semelhantes a esta.