quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Moradores de Colatina registraram suposto OVNI (Brasil)

ovni

O internauta Antônio Shepper relata algo curioso no céu de Colatina e diz que moradores do município acreditam que se trata de um objeto voador não identificado (OVNI). Confira a história. Estava no bairro Maria das Graças, aproximadamente, às 18h40, do dia 19 de fevereiro, estava tudo tranquilo quando algo estranho aparece no céu. Não, não é introdução a nenhum livro de suspense, é uma história supostamente real que alguns moradores de Colatina estão contando. Segundo eles na tarde deste dia um objeto fosco semelhante a uma arraia sobrevoou o bairro Maria das Graças em direção ao centro da cidade. "Eu e duas primas estávamos na casa de outro primo conversando na varanda, que tem visão para o Rio Doce. Meu primo estava olhando para o rio, quando ele nos surpreende e pede para olharmos para o céu. Para nossa surpresa vimos algo muito esquisito voando e não estava tão alto. Meu primo correu para pegar a máquina fotográfica e conseguiu tirar a foto daquele objeto tão diferente", conta a moradora Ariane Oliveira, 23 anos. Os primos não foram os únicos que viram o suposto OVNI . Próximo dali, perto de um curtume, a vendedora de churrasquinho Rosa Martins, juntamente com sua filha Ana Carolina, também diz ter visto o diferente objeto pairando nos céus. "Nunca tinha visto nada desse jeito, nunca! E o mais impressionante é que não fazia nenhum ruído, era muito silencioso", diz. De fato essa não é a primeira vez que coisas estranhas acontecem na cidade. Há um bom tempo atrás um morador do interior de São Paulo diz ter sido "sugado" por uma luz vinda do céu e adivinha onde ele foi parar? No alto de um morro, na cidade de Colatina. Na época essa notícia foi manchete em muitos jornais. Bom, se é verdade ou mentira, eu não sei, o que eu sei é que ambas as histórias são muito estranhas e as fotos do objeto também. Se tratam de seres de outro mundo, também não sei, mas caso sejam, espero que venham em paz.

Fonte de inf - http://www.globo.com/

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

OVNIS: círculos misteriosos em Benavente

Foto retirada da «Wikimedia Commons»

A Companhia das Lezírias, em Benavente, não voltou a ser a mesma depois do dia 20 de Dezembro. Os enigmáticos círculos, que apareceram no relvado nessa manhã, continuam sem uma explicação lógica, escreve o Correio da Manhã. As marcas surgiram na geada que caíra durante a noite e desapareceram tão misteriosamente como apareceram.

O presidente da Associação de Pesquisa OVNI, Luís Aparício, lamentou o facto de não ter podido investigar o ocorrido. «É muito importante a análise dos círculos, costumamos levar um balde de água para despejar e observar para que lado corre a água», contou à tvi24.pt, salientando que estes círculos apresentam radiações que podem ser nocivas.

Questionado sobre a origem dos círculos, não descartou a possibilidade de serem feitos por extraterrestres, alegando que nenhum ser humano teria capacidades para desenhar marcas tão perfeitas e que soltam radiações. «Eles são como bolinhas do tamanho de um punho, que andam sempre aos pares e passam por cima do chão. Têm um sistema antigravítico que nenhum humano tem, daí acreditarmos que podem ser eles a fazer os círculos», revelou o presidente da associação, referindo-se aos OVNIS.

Nos vários países onde já foram descobertas alegadas marcas de OVNIS, como a Inglaterra, a Áustria ou a Alemanha, Luís Aparício acentuou o facto de os círculos tenderem a ficar mais bonitos. «Na Inglaterra, inicialmente os círculos eram rudimentares, feitos de uma maneira mais primitiva, mas têm vindo a aprimorar-se, revelando uma aprendizagem», afirmou.

Para o presidente, este aperfeiçoamento pode marcar o início de uma nova vaga de círculos em Portugal. «Podemos falar de uma aprendizagem da mente colectiva no que respeita aos círculos», concluiu.

Noticia e crédito - http://diario.iol.pt/acredite-se-quiser/tvi24-ovnis-circulos-benavente/1138494-4088.html

Opinião pessoal.

Quando encontrarem marcas no solo não se esqueçam de levar um balde de água!

Se forem muito grandes chamem o auto tanque dos Bombeiros.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

OVNI: Círculos em relvado na Companhia das Lezírias Portugal.

Os círculos geométricos são atribuídos à presença de OVNIS
Os círculos geométricos são atribuídos à presença de OVNIS11 Fevereiro 2010 - 00h30

OVNI: Círculos em relvado na Companhia das Lezírias

Marcas sem explicação

As marcas de círculos no relvado da Companhia das Lezírias, em Benavente, registadas no dia 20 de Dezembro do ano passado, continuam por explicar. De acordo com a Sociedade Portuguesa de Ovnilogia (SPO) este "é o primeiro caso, em cinco anos de actividade, em que são apresentadas fotografias" de um fenómeno semelhante. "Chegámos às 09h00 e vimos os círculos no meio do relvado que estava todo branco devido à geada que caíra durante a noite", contou ao CM Carlos Samora, dono do restaurante A Coudelaria, dando conta que as mesmas "desapareceram ao longo da manhã".


Nuno Montez da Silveira, presidente da SPO, considerou o caso "bastante interessante", lamentando não ter sido possível "ir ao local ainda com as marcas no terreno para as investigar melhor".

SAIBA MAIS

CASO DOS JACTOS DA OTA

O mais intrigante fenómeno OVNI em Portugal ocorreu a 4 de Setembro de 1957 quando quatro jactos F84, da base da OTA, liderados pelo capitão Lemos Ferreira, enfrentaram o ataque de um estranho objecto luminoso.

2005

Foi o ano da fundação da Sociedade Portuguesa de Ovnilogia que aplica o método científico a esta fenomenologia.

CÍRCULOS EM COLHEITAS

Figuras geométricas desenhadas em campos de cultivo. O fenómeno, associado a OVNI, terá surgido em Inglaterra nos anos 70.





André Pereira
Inf - Correio da Manhã

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Ovnis no Haiti?!


Imagens de um noticiario francês, após o terremoto.

O passado 16 de janeiro o noticiero FT1 News transmitiu uma reportagem documentando a exigência dos haitianos para que as autoridades retirem os corpos sem vida que ainda estão nas ruas. Durante uma das entrevistas observa-se no céu um objeto não identificado.




Segundo a minha apreciaciação, o objeto deixa-se de ver durante os quadros finais do video.

Será que desapareceu em uma fração de segundo!

É um reflexo?, um balão?, um pássaro? Você julgue…

http://analuisacid.com/?p=4768

Tradução Espanhol / Portugues


http://www.youtube.com/watch?v=VvVU5T-uhGk

Ufo Portugal en Yahoogrupos



Entra en el grupo y participa directamente.
UFO_PORTUGAL-subscribe@yahoogrupos.com.br
Idiomas en Portugues y Español.
Si te gusta participar con varias personas de culturas diferentes entra y participa.

Saludos a todos.
Nuno Alves

Endeavour chegou à Estação Espacial Internacional

Endeavour
Endeavour 10 Fevereiro 2010 - 09h14

Esta quarta-feira

Endeavour chegou à Estação Espacial Internacional

O vaivém norte-americano Endeavour acoplou esta quarta-feira quarta feira na Estação Espacial Internacional (ISS), anunciou a NASA. A bordo do vaivém encontram-se seis astronautas, entre os quais uma mulher.




A missão desta tripulação deverá demorar 13 dias e serve para entregar e instalar os módulos Tranquility e Cupola, as últimas peças da ISS.

Inf - Correio da Manhã

Avistamaneto OVNI em Pelotas RS Praia do Laranjal Lagoa dos Patos

Na sexta feira (29/01/2010) a noite (por volta das 22:30hrs)... eu, meu filho de 8 anos e minha Esposa, estavamos admirando a maravilhosa lua cheia no Laranjal/Pelotas-RS(Brasil)... quando o que pensávamos fossem estrelas, ou aviões... as luzes (idênticas a luminosidade de uma estrela) começaram a se mover de forma desconexa, e paravam uma ao lado da outra, e depois seguiam se movendo, desconsideramos aviões, tendo em vista que paravam completamente... eram no total de 4 luzes - isso durou por cerca de 10 minutos, e ficamos maravilhados. Infelizmente não encontramos nada na Internet ou meios de comunicação relatando o fato!

Prefiro não me identificar de forma apropriada, tendo em vista a repercussão que possa ter!

NOTA - ( SE VIU NESTA DATA ALGO SEMELHANTE CONTACTE gpcu@myway.com PARA RECOLHA DE MAIS INFORMAÇÕES).

A pedra do espaço

Hilde Menzel creía que esta piedra ocultaba un misterio verdadero.Pelas mãos da jovem secretária passaram as cartas de pioneiros da ufología espanhola como Óscar Rei Brea e José María Casas Huguet, entre outros, bem como as de um dos primeiros contatados da história deste país, Enrique D. Guindos de Cepeda, quem afirmava ter mantido contato telepático com um habitante do planeta Vénus em Rodada (Málaga), em dezembro de 1954.
Um dos primeiros em freqüentar as tertulias –e também um dos mais polêmicos– foi o enfermeiro madrilenho Alberto Sanmartín.
O 17 de novembro de 1954 assegurou ter recebido das mãos de um extraterrestre uma pedra procedente do espaço.
Tinha forma rectangular e várias inscrições em uma de suas caras.
O assunto da pedra atraiu a mais curiosos à Baleia Alegre e gerou um sinfín de especulações sobre o significado daqueles símbolos geométricos.
Em janeiro de 1991, Hilde revelou a Javier Sierra uma conversa que tinha mantido com Alberto Sanmartín (em presença de Fernando Sesma) dantes de que este último embarcasse rumo a Brasil, país onde residiu até sua morte em 1982. “Sesma, que suspeitava algo raro, pressionou a Sanmartín para que contasse a verdade sobre a origem da `pedra do espaço´ –me explicou Hilde–. Ao final, pressionado, o enfermeiro confessou que o `mensageiro sideral´ não tinha sido um homem loiro de cabelos longos e macaco cingido ao corpo.
Em realidade o que tinha ocorrido é que tinha ido a dançar com sua noiva e, já de madrugada, quando voltava a sua casa, se separou dela à altura da Moncloa.
Ali perdeu o conhecimento e apareceu na ponte dos Franceses, na Cidade Universitária. Quando acordou viu, atónito, que tinha em suas mãos uma misteriosa pedra com umas inscrições”.
Apesar da mentira de Sanmartín, Hilde Menzel achava que a pedra podia ocultar um verdadeiro mistério.
“Na véspera ou a mesma noite na que o enfermeiro se acordou com aquela pedra de origem desconhecido na mão, a esposa de Fernando Sesma teve um enigmático sonho.
Sonhou que se encontrava na Cidade Universitária e que tinha muitas luzes no céu.
De repente, uma delas se acercou e se converteu em um objeto com forma de lenteja e aspecto nacarado.
De seu interior saiu um homem luminoso e com sua mão arrancou um pedaço da nave. Em seguida entregou-lho à esposa de Sesma e disse-lhe: `Com isto tendes a primeira pedra da primeira porta´. Devo aclarar que a mulher de Sesma nem cria em ovnis nem se interessava por eles”.
Esta estranha conexão entre o sonho da esposa de Sesma e a pedra de Sanmartín manteve o mistério acendido.
Aquele mesmo 17 de novembro de 1954 fundou-se oficialmente BURU, ainda que Sesma e seus amigos não conheciam ainda a história de Sanmartín.
É mais, a enigmática pedra incentivou a Hilde Menzel em sua empenho de entender a origem e a lógica dos “visitantes do espaço”.
A hispano-alemã tinha sua própria interpretação para a pedra, entre as muitas que surgiram então.
Os símbolos nela representados parecem mostrar a forma de uma mulher com um ventre abultado, quiçá grávida.
Um símbolo cósmico de fertilidad?
Para Menzel, “a Terra tem sido colonizada por seres de diferentes planetas, isto é, de diferentes raças e estados de evolução.
A prova disso se encontra na Biblia. Não todos os extraterrestres são anjos.
Os que chegaram possuíam um alto grau de desenvolvimento e seguiam as leis cósmicas”.

www.masalladelaciencia.es
Tradução Espanhol / Portugues

Ufología. Hilde Menzel: “A Terra tem sido colonizada por seres de diferentes planetas”

Acaba de deixar-nos Hilde Menzel, uma das peças finque da ufología em Espanha.
Foi cofundadora, junto com Fernando Sesma, da Sociedade de Amigos dos Visitantes do Espaço (BURU) e viveu muitos dos momentos culminantes do fenômeno OVNI em nosso país.
PARA ALÉM esteve com ela pouco dantes de sua morte.
Estas são algumas de suas últimas reflexões sobre o contactismo, a morte e os Não Identificados.

Hilde Menzel“A humanidade vive o período mais crítico da história e precisamos ajuda de fora.

Os cientistas não querem admitir que outros seres possam estar mais adiantados que nós, os terrestres, mas essa mentalidade deve mudar”, me disse Hilde Menzel em certa ocasião durante um de nossos encontros em sua casa da praça Maliciosa, situada cerca da madrilenha rua Elfo.

Isso foi dantes de que Menzel falecesse o passado 4 de agosto em uma residência de idosos de Madri.

Ao final de sua vida a idosa preocupava-se por temas de ordem mundial como, por exemplo, o poder destruidor da energia nuclear.

Em um de seus últimos escritos se mostrava tajante: “Está demonstrado que a energia nuclear não só não é necessária, senão perjudicial e perigosa.

Os cientistas temem que lhes tirem seu brinquedo e os financeiros temem perder seu dinheiro”. No entanto, a grande paixão da primeira dama da ufología em Espanha era a possibilidade de que tivesse vida extraterrestre.

Dito interesse intensificou-se em 1953 quando um tal Fernando Sesma (1908-1982) a visitou em sua loja da rua Cedaceros, 2, no centro de Madri, para confeccionar sua carta astral.

O astrólogo e artista madrilenho repetia uma frase que a então jovem hispano-alemã adotou como filosofia de vida: “Ser amigo dos visitantes do espaço é compreender que o homem não é sozinho habitante de um planeta isolado, senão filho do Universo, com a capacidade de viver em infinitas pátrias diferentes”.

Juntos fundaram a Sociedade de Amigos dos Visitantes do Espaço (BURU), que congregó a centos de curiosos em várias tertulias, especialmente no sótano do madrilenho Café Lyon, em uma sala conhecida com o nome da Baleia Alegre (PARA ALÉM, 75 e 235). Ali Hilde Menzel exerceu de tesorera da sociedade legalmente constituída e conheceu a numerosas personagens que defendiam a existência dos extraterrestres, então chamados “marcianos”.

“Sesma dizia-me que recebia muitas cartas de pessoas interessadas nos platillos volantes e me propôs fundar uma sociedade –me explicou Menzel sobre os inícios de BURU–. De modo que começamos a arrecadar uma mensualidad de dez pesetas da cada sócio, mas Sesma gastava-lho tudo em livros”.

Inf - www.masalladelaciencia.es

Tradução Espanhol / Portugues

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Mira al cielo sin temor


Es muy penoso como algunas personas pierden el piso, y la seriedad al manejar
cierta información referente a los diferentes objetos que flotan libremente en
el espacio exterior, muy por encima de nosotros, y que luego manipulan de manera
casi perversa para causar temor y asombro en las personas que no están del todo
bien informada sobre estos temas.
Habría que comenzar diciendo que sobre nuestras cabezas, en el espacio, están
flotando más de 15,000 objetos creados por la mano del hombre, que van de
satélites de comunicaciones, sondas de investigación, y un gran número de
chatarra espacial, entre ellas una bolsa con herramientas que la astronauta
Heidemarie Stefanyshyn-Piper, del transbordador Endeavour, accidentalmente
perdió durante una caminata espacial que realizaba en noviembre del 2008. Toda
esta gran gama de objetos, eventualmente se reingresará a la Tierra, y terminará
estrellándose en alguna parte de nuestro planeta, posiblemente en alguna parte
de los océanos que rodean los continentes, y algunos pocos caerán en zonas
despobladas, y serán presa algunos autonombrados "investigadores" especialistas
en la ufología y dirán que son naves extraterrestres o que son peligrosos
asteroides cayendo a tierra y que causarán grandes catástrofes. Aclaro, la
ufología no es mala, ni los seguidores de esta protociencia; son malos los que
engañan usándola como arma para timar a las personas.
Exagerar sobre el riesgo de que te caiga un asteroide o un satélite sobre ti, ya
es salirse de la realidad, pues se calcula que a diario caen a tierra más de una
tonelada de material espacial, entre meteoritos, asteroides de pequeño tamaño y
chatarra espacial de fabricación humana, y casi nunca esta llega a ocasionar
ninguna molestia o generar un gran peligro para la humanidad. Son muy contadas
las veces que chatarra espacial ha causado daños a propiedades de alguna
persona. Muchos de estos objetos se desintegran en la atmósfera y generan
vistosas estalas luminosas y no pasan a ser más que simples estrellas fugaces.
Los que corren con mejor suerte terminan como pequeñas rocas en el desierto y el
monte. Como dicen algunos, es más fácil ganarse la lotería a que te golpee un
objeto del espacio...
Si quieres ver el artículo completo, visita:
http://info7.mx/editorial.php?id=1115&secc=19

Atentamente:
Belduque

Marcas gigantes no solo da Amazônia intrigam cientistas

Equipe de reportagem visitou geoglifos no Acre e no Amazonas.
Confira mapa de satélite com os misteriosos desenhos ancestrais.

Do Globo Amazônia, com informações do Fantástico

Tamanho da letra

Elas passaram séculos escondidas pela floresta. Agora, com o desmatamento para a criação de gado, estão aparecendo cada vez mais. Os geoglifos são formas perfeitas escavadas no solo, espalhadas pelo extremo oeste da Amazônia.

Visite o site do Fantástico


Serão vestígios de uma sociedade desconhecida? Ou restos do lendário reino de Eldorado, com que tantos exploradores sonharam?

Segundo o paleontólogo Alceu Ranzi, da Universidade Federal do Acre, os geoglifos formavam um grande sistema que se estendia por centenas de quilômetros nessa região da Amazônia. Ranzi fazia parte da equipe que descobriu os desenhos, em 1977. Mas foi só nos últimos tempos que o número de achados disparou, graças a fotos de satélite disponíveis na internet. Já são quase 300 geoglifos - de alguns, os pesquisadores nunca chegaram perto.

Apesar do nome, Boca do Acre fica no Amazonas. É para lá que foi a equipe de reportagem do Fantástico, para ver de perto alguns geoglifos que até então só haviam sido observados pelo pesquisadores por imagens de satélite.

Em pouco tempo de voo é possível ver as formas - algumas bem nítidas, outras parcialmente encobertas pela mata. “Normalmente são quadrados e círculos. Temos octógonos também, hexágonos...”, cita Ranzi.

Para Jacob Queiroz, 93 anos, dono de terras onde existem algumas figuras, elas não podem ser simples obras da natureza. “Isso aqui foi gente que fez. Trabalho de engenheiro”, comenta.

Revolução


Dentro de um dos canais que forma as figuras, é possível ver que a terra foi escavada e cuidadosamente empilhada do lado de fora. Por isso, chegou-se a pensar que as valas seriam trincheiras da revolução acriana, a revolta do início do século 20 contra a dominação da Bolívia no território.

Mas a teoria das trincheiras está fora de cogitação. As análises geológicas publicadas mostram que os geoglifos são muito mais antigos: do século 13.

Outra questão intrigante é como os habitantes daquela época conseguiram fazer isso dentro de uma floresta densa. “Imagino que essa região da Amazônia devia estar passando por um problema climático”, diz Ranzi. Os cientistas têm uma hipótese: na época da construção dos geoglifos, a Amazônia pode ter passado por uma seca muito forte, que transformou a floresta numa imensa savana, parecida com o cerrado brasileiro.

Falta ainda a principal peça do quebra-cabeça: que tipo de sociedade projetou esses monumentos? Certamente devia ter um certo grau de organização para elaborar esses monumentos. As principais teorias sobre os povos que viviam nesta região antes de o Brasil ser descoberto dizem que esses povos jamais teriam tamanha sofisticação, eram nômades, ou seja, não passavam muito tempo no mesmo lugar.


Para Jacó Piccoli, antropólogo da Universidade Federal do Acre, é possível que haja uma relação estreita com os antepassados dos índios atuais. “Mas podem ter sido também outras populações que habitaram a região”, pondera. É difícil estabelecer uma origem clara para os geoglifos, porque não se encontram pistas nas tradições dos índios que vivem hoje na região.

Na falta de respostas, os moradores abraçam o sobrenatural. Seu Jacob conta que, estranhamente, as valas nunca alagam quando chove e que, do chão, sobe uma espécie de zumbido. “Uuuuuu.... que nem uma abelhal”, conta.

Também não faltam suposições delirantes, como, por exemplo, que os geoglifos seriam marcas deixadas por extraterrestres.

Quando olham para a imensidão da floresta amazônica preservada, os cientistas ficam imaginando quantos geoglifos, quantos desenhos geométricos estão escondidos debaixo das árvores. Eles estimam que nem 10% deles tenham sido revelados.

Inf - http://www.globoamazonia.com

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

O FENÔMENO DAS ESFERAS LUMINOSAS

ARQUIVOS DO IIEE

O fenômeno OVNI é um fenômeno multidiciplinar, no que intervêm fatores epistemológicos de diferentes naturezas: físicos, químicos, biológicos, geológicos e um longo etcétera.
No entanto, a experiência na investigação demonstra também que o fenômeno trasciende destas índoles e tem de abordar desde uma perspectiva mais acientífica e indagando em outros níveis de consciência, o qual não significa que não seja possível se apoiar assim que seja possível em nossos conhecimentos disciplinares de forma aplicativa para ir avaliando os diferentes comportamentos fenomenológicos.
E nossa própria ciência permite-nos afirmar que muitos deles escapam ao lógico entendimento, ainda que os ortodoxos da mesma se empenhem continuamente em nos fazer crer o contrário.
Vou apresentar-lhes um tipo de fenômeno bastante complexo, pouco tangible e de difícil demonstração.

Falo-lhes, concretamente, de bolas luminosas, foo-fighters, boules de feu, kugelblitz ou outras denominaciones segundo o idioma que selecionemos, que não são outra coisa que esferas ígeneas, ou bolas de luz que têm sido contempladas tanto em exteriores como em habitáculos de interior de moradias, e neste último caso com freqüência têm sido sócias ao apartado de visitantes de dormitório.
Minha intenção não é lhes falar sobre que finalidade podem ter estas presenças, porque teríamos de entablar um debate uma por uma sobre diferentes possibilidades, teorias e hipóteses (que se sondas extraterrestres, aparecimentos paranormales, telergias, etc, etc), senão mais bem, do fenômeno em si quanto a seu grau de extrañeza e lhes demonstrar que sua existência não é explicavel sempre empiricamente, como nos querem fazer crer os céticos de turno, que costumam falar de raios globulares ou raios em bola, e qualquer acontecimento ufológico no que intervenha qualquer tipo de esfera em movimento acaba sendo etiquetado como tal.
Para isso se faz imprescindible conheçam os fundamentos científicos até agora descobertos sobre este elemento globular e possam assim aceder a suficientes dados como para dispor de uma opinião quando se enfrentem a qualquer leitura deste tipo de anomalías, e não aceitem que lhes narrem fábulas científicas maquilladas para encuadrarlas dentro de uma fenomenología de aparente normalidade física, quando muitos de seus parámetros não concordam para nada com a natureza do observado por algumas testemunhas.

O raio globular, fisicamente, é um fenômeno atmosférico, de origem elétrico que se origina em muito raras ocasiões, quase sempre durante uma tormenta e que costuma aparecer junto ao pé da descarga de um raio, manifestando com o aspecto de uma pequena esfera resplandeciente que se move erráticamente pelo ar (este detalhe é importante).

Os estudos de astrofísico austriaco Whittman sobre uma centena de casos levaram-lhe a determinar, que na faixa do oitenta por cento as observações acaecieron em período estival, e o setenta por cento durante o transcurso do trovão de uma tormenta. Sua duração média se cifra em torno da faixa dos cinco segundos; em isso coincidem quase todos os estudiosos, ainda que em alguns depoimentos difiere algo mais. Seu tamanho não chega a superar os 20 ou 25 cms, ainda que em algumas manifestações parecem ter adquirido os 35 cm (14 pulgadas).
Está determinado por uma cor geralmente amarela ou laranja, fundamentalmente o primeiro, mas também como brancos e azuis.

Apagam-se de modo instantáneo e silencioso, e em casos muito concretos, fazer com estrépito explodindo. Os depoimentos quase nunca falam de cheiro, e naqueles casos onde o teve costuma ser parecido ao do dióxido de azufre (azufre queimado). Seu movimento é ondulante em direção horizontal.
Existem numerosas teorias sobre sua formação.

Uma das mais estendidas é a que sustentam os pesquisadores espanhóis José Luis Trueba e Antonio Fernández Rañada, da Universidade Complutense de Madri, que explicam que se origina de ar ionizado conteúdo dentro de um campo magnético, no que tem existido uma separação de muitos de seus electrones, se produzindo uma forma de ovillos de forma complexa.
Seu estudo publicaram-no na revista Nature. John Abrahamson e James Dinnis, da Universidade neozelandesa de Canterbury, sustentam que estes "objetos" são produto de partículas incandescentes de silicio, que são tremendamente reativas e se combustionan emitindo luz durante a mesma e que surgem dos minerales afetados quando um raio atinge o solo.
Estas partículas se uniriam formando correntes entre si e se unindo estas a sua vez até formar bolas que depois são movidas por correntes de ar.

Numerosos cientistas e pesquisadores de todo mundo têm estudado e seguem o fazendo, a natureza deste fenômeno, que ainda não está resolvido pela física atmosférica, porque efetivamente, apesar das numerosas teorias e tentativas ainda não se pôde reproduzir em um laboratório e todos os trabalhos se remetem a estudos de relatórios sobre sua observação.

Apesar do exposto e de que existe ainda um desconocimiento científico sobre este fato, o raio em bola é com freqüência usado como uma explicação de alguns FOVNI, sem ter tido em conta se o comportamento se assemelha aos descritos como intrínseco deste fenômeno lumínico.

Alguns, como o canadense Argyll, afirma que estas bolas luminosas são uma ilusão óptica provocada pelo deslumbramiento do resplendor de um raio, e tenta explicar assim o por que não se encontra um mecanismo físico demostrativo. Obviamente, recusa aqueles casos com evidências físicas de sua presença, simplesmente porque se é uma ilusão óptica, é irracional que deixe efeitos físicos. Essa é sua ciência.

Em Espanha, os céticos criaram em seu momento o conhecido como Catálogo de Relatórios de Aterrissagem OVNI negativos, de cuja comissão que se criou para sua revisão fiz parte.

No ano 1991 realizei um estudo estatístico sobre o citado Catálogo negativo, e no mesmo obtive, entre outros dados, que o 17.60% do total dos cifrados até essa data, eram raios em bola segundo estes amigos da incredulidad. Dito de outro modo, 1.76 em cada 10 casos negativos, segundo eles eram raios em bola.
Permito-me chegado aqui recordar-lhes que este fenômeno físico é extrañísimo que se produza, e que a própria ciência assim o considera.
A este passo, dito de forma irônica, os pesquisadores ufológicos deixaremos de sê-lo para converter-nos em pesquisadores de raios globulares, e então, sem dúvida que nos viriam dizendo que os raios em bola só existem em nossa mente calenturienta. Aposto-lhes o que queiram.

Valha o dito para que comprovem como se manipula e clarifican relatórios com patrões preconcebidos. Depois, ataca-se-nos aos pesquisadores com o alegato de que somos pouco objetivos.

Um dos casos de esfera ígnea estudados pelo Instituto de Investigações e Estudos Exobiológicos (IIEE) em uma investigação de campo in situ foi o acaecido o 6 de setembro de 1980 na finca "Quatro Quartos" de Torrejoncillo (Cáceres, Espanha). O assunto decorreu mais ou menos assim: "uma 'bola' ou 'cone' de fogo, segundo as diferentes definições que lhe foram dadas, foi observada por um pastor na finca mencionada, como se de um lume girando se tratasse.

Depois de uns segundos de observação, esta tomou direção à casa, onde se bifurcó em duas ao chegar a sua altura e passando pelos laterais da mesma.
A uns 10 m da parte de atrás, as duas bolas de fogo voltaram-se a unir em uma sozinha e afastou-se em direção a uns encinares.
Justo dantes de chegar a eles, interrompeu seu movimento e bruscamente se dissipou. O fenômeno deixou evidências físicas no terreno, tais como queimaduras na vegetación, animais calcinados e multidão de defeitos.
Segundo análise do IIEE de alguns minerales afetados, estes apontam que estiveram submetidos a temperaturas entre os 1000 e 2000 ºC.

Em diferentes bilhetes da História encontramos que existem depoimentos e descrições de diferentes tipos de esferas.

Também em pinturas e escritos.
Os gregos antigos divulgaram ver bolas que brilhavam intensamente movendo pelo céu.
No século VI, San Gregorio de Tours narra como uma esfera se colocava no ar em cima de uma procissão.
O "Ramayana" da cultura indiana, assegura que as vimanas (artefatos voadores) eram de forma esférica com homens em seu interior que podiam realizar grandes distâncias em pouco tempo. A relação de textos seria interminável.
Comuns são também os aparecimentos de diferentes tipos de bolas em alguma que outra casuística de abdução.
Algo bem como se a bola fosse o braço ejecutor que neutraliza as percepções sensoriais do sujeito eleito dantes de ser raptado e transportado a outros lares.
Há estudos realizados da conseqüência de alteração elétrica produzida pelo suposto OVNI e da disfunção cerebral em conseqüência da energia dos campos magnéticos.
Mas é outro tema.
O fácil, nestas anomalías, como em tantas outras, quando não se pode explicar o por que de algumas questões fenomenológicas, é consetalas dentro de nossos míseros conhecimentos científicos.

Tenham a certeza de que algo que se escapa a nosso entendimento está ocorrendo a nosso arredor, e que incansavelmente temos de trabalhar para nos acercar a isso.
Isto só tem sido um esboço.

Poderia ter-lhes indicado um sem fim de dados mais de caráter técnico, mas não era essa a questão, senão lhes criar a inquietude por tratar de saber mais de algo em concreto entre os numerosos episódios de nossa ignorância.



Uma vez mais demonstra-se a necessidade de investigação para o avanço de nosso conhecimento, como sempre tem sido no dever da Humanidade.

Algo que, me creiam, não se faz normalmente nesta disciplina, contaminada por políticas e interesses completamente alheios à mesma (jornalísticos, egocéntricos, etc) e que tanto dano está fazendo não só a quem temos na Ufología uma forma de satisfazer nosso intelecto, senão a quem também não conhecemos melhor caminho para chegar à verdade.
Meu conselho, e meu ponto final, é que não criam nem aos negados nem reprimidos, nem por outra aos charlatanes de artigo fácil e exclusiva jornalística, aos que só interessa se nutrir economicamente do fenômeno.

Sejam sempre objetivos, apostem pela investigação livre e sem preconceitos, analisem, consultem, se documentem.
E em todo isso, parafraseando e homenageando ao maestro e amigo Pedro Valverde, "que vossa mente sosegada, seja vossa melhor conselheira".

Autor: José M. Moya

Pesquisador parafísico e exobiológico. Fundador e presidente do Centro de Estudos Parafísicos "Hynek". Cofundador do Conselho de Pesquisadores Ufológicos Espanhóis. Membro do Instituto de Investigações e Estudos Exobiológicos. Membro da equipe de investigação "Projeto Delfos". Editor da extinta publicação "Investigação OVNI". Membro da Comissão Internacional de Estudos Físicos do FOVNI. Colaborador de Espaço Compartilhado".

IIEE Delegação Chilena © 2003. Todos os direitos reservados.
Consultar mais em - http://www.iiee.cl
Tradução Espanhol / Portugues

Ovnilogia em Portugal mais um novo projecto.


Mais um novo e ambicioso projecto em Portugal relacionado à Ovnilogia.
Devido à ineficácia de algumas entidades no desenvolvimento da Ovnilogia a nossa ilustre e bem conhecida Marina Pereira, está a desenvolver um novo projecto muito ambicioso, desenvolver um local para divulgação de ovnilogia.
Mas não uma divulgação qualquer.
A criação de uma "revista gratuita, entrevistas, reportagens, podcast, investigações e muito mais".
Consultem o site http://pesquisasovni.webnode.com
Todos os interessados em fazer parte desta equipe podem contactar a mesma no seguinte E - mail - pesquisasovnitv@gmail.com
Uma mais valia para a Ovnilogia Portuguesa.
Com todo o apoio do Ufo Portugal.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

OVNIS - MILITARES

RELAÇÕES DISPARES
A sempre comentada relação “Ovnis - Militar” tem dado muito que falar no mundo inteiro. Não é para ninguém desconhecido que estas relações sempre têm estado marcadas pela desconfiança que existe entre ambas partes, salvo as honrosas exceções que sempre salvam a regra, nos demonstram que alguns militares sim têm tido especial atenção com o tema Ovni,


inclusive arriscaram-se a emitir comentários públicos com o consiguiente desgosto de seus superiores. Em Chile o CEFAA (Comitê de Estudos de Fenômenos Aéreos Anómalos) com o General (R) Ricardo Bermúdez e o General (R) Luis Henríquez, tentou essa colaboração mútua entre pesquisadores e militares. A realidade é que muito pouco se avançou em descifrar a grande quantidade de FOVNIS que existe neste país. Neste ponto há que acrescentar, que ao mês de Dezembro de 2004 o fenômeno tem decaído enormemente, quiçá uma das causas tem sido a publicação de grotescas fotografias de ETs e outros elementos parecidos que têm desprestigiado o já redundante FOVNI em Chile. A partir de mediados do ano 2009 os avistamientos têm aumentado consideravelmente em muitas partes do mundo. Existe uma desconfiança dos entes oficiais, governamentais e militares para as pessoas que se denominam “ufólogos”, deixando em claro que estes últimos nunca têm estado às alturas das circunstâncias, dando prioridade a projetos televisivos e disputas estéreis entre agrupamentos que nunca têm chegado a nada em concreto. Muitos destes ufólogos ainda pensam que os militares chilenos ou organismo dependentes destes estamentos oficiais lhes vão contribuir informação “confidencial” com respeito ao segredo da enorme casuística OVNI existente em Chile. Ilusos quem pensem desse modo Neste ponto, não tem faltado a declaração do ex-ufólogo espanhol, Juan José Benítez (hoje em dia, mundialmente conhecido, graças a suas novelas de ciência-ficção) quem tem declarado mais de uma vez, que desaparecido ditador Augusto Pinochet lhe entregou informação privilegiada do caso mundialmente conhecido como o do Cabo Valdés, tudo isto, ante os próprios narizes dos “sacrificados” ufólogos chilenos quem se supõe andam por trás do esclarecimento deste manipulados acontecimento, e que quase no final do ano 2005, tudo segue igual, se continuam fazendo declarações das excelencias do CEFAA e dos ufólogos pouco ou nada se sabe. Com respeito ao Cabo Valdés já estamos inteirados de suas últimas "carambolas cósmicas e místicas" desde algum tempo a esta data (Ver NOUFA 13 de Outubro de 2009) Cabe destacar neste apartado, ao jornalista Patricio Abusleme quem tem tomado este caso do Valdés como um desafio próprio, tem estado no lugar dos fatos com o próprio Cabo Valdés, e tem conseguido desentrañar alguns mitos que se tinham criado ao redor deste caso, só nos fica esperar ver este trabalho em um futuro próximo publicado, e que não sejamos uns poucos os que tenham acesso a esta informação. Por enquanto seguimos esperando o anunciado livro do cabo já civil, Armando Valdés Garrido. Todo o mencionado acima, sirva para mostrar o mundo e o ambiente onde se move o mundillo dos chamados Ovnis e como perduran eternas discussões e só podemos pensar que “não existe uma convicção real de chegar ao final do fenômeno denominado OVNI” todo o demais sobra, e só serve para a imprensa e para alguns outros promocionar sua figura nas telas de TV e outros meios de imprensa. Quem tem a culpa de tudo isto? Responsabilidade compartilhada. Mais ainda, quando o tema da ufología no mundo está sempre em mãos de meios de comunicação não especializados e pessoal não preparado para um real estudo do fenômeno. Se a tudo isto lhe agregamos o orçamento quase nulo que existe para este tipo de projetos, pouco se pode exigir e menos pedir transparência para este tipo de ações. Geralmente estes projetos já começam truncos e só o ânimo e a paixão de algumas pessoas especiais conseguem pequenas parcelas de sucessos em coisas muito concretas. Por último, não se deve esquecer neste apartado que o CEFAA (Comitê de Estudos de Fenômenos Aéreos Anómalos) no mês de Dezembro de 2009 anunciou sua volta a cena. Devido a sua atuação anterior, pouca confiança tem existido ao respecto deste anúncio em ambientes ufológicos nacionais, ainda que sempre há que esperar que segundas tentativas sejam melhores que os primeiros, e prime a experiência extraída dos erros cometidos no passo. O tempo terá a última palavra ao respecto. Foto exposta: Suposto Ovni em plena Av Providência de Santiago (princípio ano 2001) Arquivos IIEE Equipo Redação - NOUFA - CHILE

Tradução Espanhol / Portugues

Obama troca a Lua pelo Sistema Solar

Regressar à Lua em 2020, construir bases? Não, esses sonhos, recuperados por George W. Bush em 2004, ao lançar o programa Constelação, que prometia o regresso à Lua em 2020, acabaram. A proposta de orçamento da Administração Obama para 2011 reconhece a impossibilidade de cumprir esse calendário mas, ao mesmo tempo, aumenta o orçamento da NASA em seis mil milhões de dólares por ano, durante cinco anos.
Da próxima vez, os americanos não irão sozinhos
Da próxima vez, os americanos não irão sozinhos (NASA/REUTERS)

A prioridade, agora, são projectos de investigação científica e a abertura de colaborações — com outros países e, algo inédito, parceiros comerciais para levar astronautas para a Estação Espacial Internacional (ISS).

Esquecer o regresso à Lua é “um passo de gigante para trás”, como disse um crítico republicano? Nada disso, responde Lori Garver, vice-administradora da NASA, numa conferência que a agência espacial transmitiu pela Internet. “Este orçamento volta a colocar-nos no Sistema Solar”.

No Verão, uma comissão independente disse que o programa Constelação estava fora de rota. “O comité Augustine estimou que o foguetão necessário para nos levar à Lua não estaria disponível antes de 2028 ou 2030 e, nessa altura, ‘não existiriam fundos para desenvolver o veículo de alunagem e sistemas de superfície’”, disse o administrador da NASA, Charles Bolden, um ex-astronauta.

Hoje já não há a Guerra Fria que permitiu injectar enormes quantidades de dinheiro na NASA para chegar à Lua em dez anos. Colaboração, agora, é a palavra-chave. “Todos nós acreditamos que, da sétima vez que formos à Lua, aterraremos lá com parceiros internacionais, e comerciais também”, afirmou Graver.

Nesta proposta de orçamento é concretizada a muito esperada estratégia da Administração Obama para o espaço. E, fiel ao espírito de um Presidente que se rodeou de prémios Nobel, a estratégia parece feita à medida para agradar aos cientistas.

É prolongado o prazo de envolvimento americano na Estação Espacial Internacional (de 2015 passa para 2020) e reforçado com mais dinheiro para que se transforme de facto num laboratório orbital, para estudar os efeitos da microgravidade no corpo dos astronautas. Missões robóticas de exploração do Sistema Solar — incluindo no estudo do Sol —, e um investimento no estudo da Terra e das alterações climáticas, uma área na qual a NASA estava desfalcada.

A NASA vai ficar sem meios de pôr astronautas em órbita, a partir do fim do ano, quando for aposentado o vaivém, por motivos de segurança. Pagar bilhetes de 50 milhões de dólares nas naves russas é a solução imediata, mas os EUA vão passar também a confiar em empresas privadas. Isto é uma grande revolução, mas é algo que a NASA guardou para falar hoje.

Mas ontem, Charles Bolden anunciou já que a NASA tem contratos com várias empresas para transportar tripulações para órbitas baixas (Blue Origin, Boeing, Paragon, Sierra Nevada, United Launch Alliance). “Ninguém se preocupa mais com a segurança do que eu. Fiz quatro missões num vaivém e perdi amigos em dois acidentes. Dou-vos a minha palavra que estes veículos serão seguros”, disse.

Inf - Jornal o Publico

Aves respiram como crocodilos

O fluxo de ar nos pulmões dos crocodilos tem um único sentido
O fluxo de ar nos pulmões dos crocodilos tem um único sentido30 Janeiro 2010 - 00h30

Evolução: Desde há 246 milhões de anos

Aves respiram como crocodilos

Os crocodilos e os pássaros respiram da mesma forma, através de uma estrutura pulmonar muito particular. O estudo da Universidade de Utah, agora publicado pela revista ‘Science’, explica que o ar flui nas vias respiratórias dos répteis numa única direcção, característica que se acreditava ser apenas dos pássaros. Este método de respiração pode ter permitido aos antepassados destes animais serem mais resistentes e dominarem a Terra, depois da extinção massiva ocorrida há 251 milhões de anos.


Depois da extinção, que provocou a morte de 70% da vida terrestre e 96% da marinha, estes répteis – arcossauros – foram os animais que dominaram o Planeta.

O nível de oxigénio no ar era de 12% e só quem possuísse determinadas características conseguiria sobreviver. Foi o caso dos arcossauros, que mais tarde se dividiram em dois ramos: os arcossauros próximos dos crocodilos e os que incluíam os pterossauros, mais próximos das aves.

Os investigadores acreditam que os antepassados comuns das aves e dos crocodilos adquiriram há 246 milhões de anos este método de respiração.

Inf - Correio da Manhã

‘Hubble’ capta colisão frontal situada entre Marte e Júpiter

Imagem captada pelo ‘Hubble’
Imagem captada pelo ‘Hubble’04 Fevereiro 2010 - 00h30

‘Hubble’ capta colisão frontal situada entre Marte e Júpiter

Choque de asteróides

O telescópio espacial ‘Hubble’ captou uma imagem em forma de "X" com uma espécie de cauda, semelhante a um cometa, que deverá ter sido criada pela colisão frontal de dois asteróides. O impacto terá ocorrido a uma velocidade média de 11 000 quilómetros por hora.


O objecto, baptizado como P/2010 A2, foi descoberto no cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter e estaria a 144 milhões de quilómetros da Terra, quando foi captado pelo ‘Hubble’, em Janeiro. O P/2010 A2 é da família Flora, a mesma que produziu o asteróide que atingiu a Terra há 65 milhões de anos e levou à extinção dos dinossauros.

Inf - Correio da Manhã

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

XV Diálogo com o Universo terá a participação especial do deputado federal Wilson Picler

Participação especial do deputado federal Wilson Picler e do astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão
Ufologia, ciência e espiritualidade. Serão esses os assuntos discutidos na XV edição da série Diálogo com o Universo, que ocorrerá entre os dias 13 e 16 de fevereiro, em Curitiba, Paraná. No evento, promovido pelo Núcleo de Pesquisas Ufológicas (NPU), será realizado três workshops especiais que abordarão assuntos como o Enigma da Terra Oca, Cosmoética e Energia Cósmica. Conferencistas conhecidos no Brasil e no mundo como a médica e sensitiva Mônica Medeiros, a psicóloga Gilda Moura e o professor universitário Salvatore De Salvo discutirão temas como DNA – O Código Universal, Transformadores de Consciência e o Poder da Atração e A Evolução Humana – É Chegada a Hora do “Conheça-te a Ti Mesmo”. O evento será realizado no Hotel Lizon, na Av. Sete de Setembro, 2246, em Curitiba. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (41) 3324-0805 ou pelo e-mail npubrasil@gmail.com.


CONFERENCISTAS

Sábado – 13 de fevereiro

13h00 – Credenciamento

14h00 – Wilson Picler (PR) – Graduado em física, professor e empresário no campo educacional superior, diretor do Grupo Educacional Uninter e deputado federal pelo PDT do Paraná. É um dos idealizadores da Universidade Aberta Leonel Brizola. Foi responsável por inúmeras pesquisas no campo da psicotrônica e do Efeito Kirlian, tema em que pretende desenvolver tese de mestrado. Presidente eleito para o Biênio 2008/09 da CWB TV.
Abertura – Saudação especial aos presentes.

14h20 – Reginaldo Hiraoka (PR) – Parapsicólogo e professor. É coordenador do curso livre de parapsicologia e de pós-graduação dos estudos da consciência das Faculdades Integradas Espírita (FIES). Especialista em educação e em valores humanos e estudante de filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PR).
Tema – Exibição e Debate sobre o Documentário Fator Desconhecido – Vida Após a Morte.

15h40 – Marco A. Petit (RJ) – Diretor da Associação Fluminense de Estudos Ufológicos (AFEU) e co-editor da Revista UFO. É membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). É autor de vários livros, sendo seu último lançamento UFOs: Arquivo Confidencial [Coleção Biblioteca UFO]. Dirigente do Instituto Galileo Galilei de Pesquisas Avançadas sobre Vida Extraterrestre (IGG), é considerado uma das maiores autoridades na área ufológica do Brasil.
Tema – A Igreja Católica no Rumo do Contato Final.

16h40 – Intervalo

17h00 – Maurício Guérios (PR) – Ator, diretor, produtor, roteirista de cinema e TV com participações no Brasil e exterior. Foi consultor e representante do astro norte-americano Steven Seagal e diretor de operações do grupo musical americano The Platters. É mestre em várias artes marciais, sendo 4° grau de faixa-preta em Aikidô. Estudioso e conferencista internacional nas áreas de religiões comparadas e ciências ocultas há mais de 20 anos. Possui doutorados nas áreas de teologia, teologia com especialidade em divindades e letras.
Tema – Reencarnação: Uma Visão Universal e Científica.

18h20 – Encerramento do primeiro dia

Domingo – 14 de fevereiro

09h00 – Waurides Brevilheri Júnior (PR) – Bacharel em comunicação social e jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina. Documentarista, publicitário e consultor de comunicação multimídia aplicada à visão ecossistêmica e ao terceiro setor. Co-fundador do Instituto Amo Curitiba de Responsabilidade Social para a Promoção da Paz.
Tema – Cooperação, Participação, Solidariedade: Conhecimento e Diálogo para um Novo Mundo.

10h10 – Intervalo

10h30 – Ronaldo Rogério de Freitas Mourão (RJ) – Astrônomo e fundador do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), pesquisador e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). Foi diretor do Observatório Nacional do Rio de Janeiro é autor de dezenas de livros, sendo seu mais recente lançamento Astronomia Budista. É membro da Academia Luso-Brasileira de Letras.
Tema – Astronomia Budista.

12h00 – Intervalo para o Almoço

14h00 – Rafael Cury (PR) – Presidente da Associação Nacional dos Ufólogos do Brasil (ANUB), fundador e diretor do Núcleo de Pesquisa Ufológica (NPU), co-editor da Revista UFO e membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). Já realizou mais de 1.400 conferências no campo da Ufologia e paraciências, entre eventos, pesquisas, entrevistas e artigos. Recebeu o prêmio Cidade de Curitiba, concedido pela Câmara Municipal de Vereadores pelos relevantes serviços prestados no campo das paraciências. Em 2001, ganhou o prêmio Cindacta, como melhor conferência ufológica daquele ano. Atualmente, é diretor de programação da CWB TV em Curitiba. Em 2005, ao lado de outros ufólogos, foi recebido pelo Comando da Aeronáutica, em Brasília, oportunidade em que teve acesso aos arquivos sigilosos sobre UFOs mantidos pela Força Aérea Brasileira (FAB).
Tema – Os Grandes Pensadores da Ufologia.

15h20 – Mônica Medeiros (SP) – Médica cirurgiã formada pela Unicamp, com mestrado na Universidade de Illinois, em Chicago. Fundadora e presidente da Casa do Consolador, entidade filantrópica universalista. Atua como mestra reikiana e presta auxílio a pessoas, entidades carentes e animais em sofrimento, através da ONG Árvore da Vida. Foi entrevistada da edição UFO 145.
Tema – DNA – O Código Universal

16h40 – Intervalo

17h00 – Tito Fonseca (PR) – Advogado, pensador e filósofo. É investigador e conferencista especialista em culturas antigas e religião, tendo realizado estudos multidisciplinares especialmente sobre o budismo e o cristianismo.
Tema – A Origem do Conhecimento – Uma Viagem Mística sobre os Grandes Iluminados da Humanidade.

18h20 – Encerramento do segundo dia

Segunda-feira – 15 de fevereiro

09h00 – Luciana Marian Cardoso (PR) – Estudante de física na Universidade Federal do Paraná (UFPR) e astrônoma amadora desde os 12 anos. Durante os últimos anos, realizou pesquisas e proferiu palestras de divulgação sobre astronomia em instituições cientificas, em especial no Observatório da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).
Tema O Universo em que Você Vive.

10h00 – Intervalo

10h20 – Os ufólogos A. J. Gevaerd, Marco A. Petit, Jaime Lauda, Rafael Cury e Toni Inajar formam um painel em que debatem a nova polêmica sobre a chegada do homem à Lua e seus monumentos secretos descobertos pela NASA e mantidos até hoje ocultos. Apresentação dos recentes e polêmicos documentários A Verdade Sobre a Conquista da Lua e Lua Misteriosa.
Tema Verdades e Mentiras Oficiais sobre a Lua.

13h00 Intervalo para o almoço

14h00 – Marco Antonio Petit (RJ) – Diretor da Associação Fluminense de Estudos Ufológicos (AFEU) e co-editor da Revista UFO. É membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). É autor de vários livros, sendo seu último lançamento UFOs: Arquivo Confidencial [Coleção Biblioteca UFO]. Dirigente do Instituto Galileo Galilei de Pesquisas Avançadas sobre Vida Extraterrestre (IGG), é considerado uma das maiores autoridades na área ufológica do Brasil.
Tema – Ashtar Sheran – Realidade ou Ficção?

15h30 – Paulo H. Wedderhoff (PR) – Administrador de empresas e professor de fundamentos de administração. Executivo de marketing internacional, empresário no ramo de importação e distribuição de instrumentos para o manejo florestal. Membro da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e colunista da revista Ser Espírita.
Tema – Quem Somos: Sob a Ótica Espírita.

17h00 – Encerramento do terceiro dia

Terça-feira – 16 de fevereiro

09h00 – Salvatore De Salvo (SP) – É formado em engenharia industrial e química. Há mais de 30 anos pesquisa a geobiologia, área que lhe rendeu o título de Cientista Internacional do ano de 2001 em geobiologia, concedido pelo International Biographical Center, de Cambridge, Inglaterra, onde concorreu com mais de dois mil candidatos. É autor de inúmeros livros, entre eles Sinfonia da Energética e A Energia Cósmica e Você.
Tema – A Evolução Humana – É Chegada a Hora do Conheça-te a Ti Mesmo.

10h30 – Intervalo

10h50 – Francisco Ortiz (SP) – Mestre em comunicação, administração, ciências sociais, biofísicas e metafísicas. Pesquisador científico e tecnológico, inventor e engenheiro. Autor de 15 livros sobre sociologia, economia, ecologia, energia, educação, ciência e tecnologia. É conferencista internacional sobre temas globais e diretor de renomadas fundações e institutos. Especialista em gestão biodinâmica de organizações.
Tema – 2010–2020 – Contatos e Tecnologias Revolucionárias.

12h20 – Intervalo para o almoço

14h00 – Gilda Moura (RJ) - Psicóloga clínica e hipnóloga com muitos anos de prática e estudos de grupos de transe, observação e apoio a contatados e abduzidos. Foi co-diretora da Fundação Kairos, da Universidade de Illinois, em Chicago, em um trabalho de seis anos sobre estados alterados da consciência e mapeamento cerebral, pesquisando contatados, abduzidos, cirurgiões paranormais e médiuns brasileiros. É autora dos livros Transformadores de Consciência e O Rio Subterrâneo. É consultora científica do Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência (CTEC), da Universidade Fernando Pessoa, Portugal, e da Associação Portuguesa de Hipnose Clínica e Experimental. É consultora da Revista UFO.
Tema – Transformadores de Consciência e o Poder da Atração.

15h30 – Margarete Áquila (SP) - Musicista, compositora e cantora há 15 anos, portadora de uma voz suave e melodiosa, tema em que desenvolve seu trabalho solo desde 1998. Define seu trabalho musical com uma identidade própria e o objetivo de promover um relaxamento e bem-estar aos que a ouvem. Estudiosa da nova ciência de musicoterapia, acredita que músicas suaves e estéticas sejam ponte para a elevação energética do ser, e tem comprovado isso com muito sucesso em suas apresentações musicais em espaços místicos, esotéricos, culturais, centros de tratamento e cura energética.
Tema Contatos Interdimensionais – Com Quem Estamos Lidando?

16h00 – Intervalo

16h20 - A. J. Gevaerd (PR) – Presidente do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV). Fundador e editor da Revista UFO, a mais antiga revista ufológica em atividade do mundo. É coordenador da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), que lançou a campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, obtendo do Governo Federal substanciais documentos ufológicos. É reconhecido internacionalmente como um dos ufólogos mais atuantes do mundo. Já representou o Brasil em eventos e pesquisas em mais de 50 países.
Tema – Estamos Próximos de um Contato Oficial entre Humanos e ETs?

18h20 – Encerramento do Evento.



Workshop especial 1
O Enigma da Terra Oca e a Lenda de Shamballa

Conferencista: Salvatore De Salvo
Local: Auditório do Hotel Lizon
Data: 13 de fevereiro – 20h30 às 22h30.
Valor único: R$ 50,00 – Para reserva, utilize o código WS1.
Temática: O trabalho retoma um dos assuntos mais controvertidos e desprezados dos últimos anos: o enigma da Terra Oca. Embora se acredite saber tudo sobre nosso planeta, nada sabemos exatamente sobre o que se esconde em seu interior. Existe um enorme número de informações, tanto a favor como contra esta hipótese. Mas, ele faz objeto de patente concedida nos Estados Unidos e foi aceita e profundamente estudada por alguns dirigentes nazistas, comprovando a seriedade do tema. Por que os relatórios do almirante Bird, de duas expedições norte-americanas aos pólos jamais foram publicados e o militar foi declarado louco? Só agora, decorrido mais de meio século, foi obtido conhecimento dessas duas aventuras. Elas serão apresentadas ao público. E, de acordo com o enigma da Terra Oca, ressurge uma das mais encantadoras lendas, a de Shamballa, o paraíso terrestre encravado entre os picos do Himalaia e apenas acessível aos grandes iniciados, a terra onde vivem os deuses e semideuses, que sairão do interior do globo para ajudar a resgatar a humanidade. Já é tempo de abandonar nossa sociedade puramente materialista para voltar a estudar tradições antigas de todos os povos, altamente fascinantes. E se forem verdades?



Workshop especial 2
Cosmoética

Conferencista: Mônica Medeiros e Margarete Áquila
Local: Auditório do Hotel Lizon
Data: 14 de fevereiro – 20h30 às 22h30.
Valor único: R$ 50,00 – Para, reserva utilize o código WS2
Temática: Poucas coisas são tão desejadas quanto o contato com as inteligências alienígenas que nos visitam. Contudo, o contato em massa não ocorre. Por quê? No contexto cósmico, como a humanidade é vista? Por que tribos indígenas tiveram encontros com civilizações cósmicas e nada parecido envolve, por exemplo, a ONU? O que os inúmeros contatados fazem com o que aprenderam com os extraterrestres? O que é a síndrome do contatado? No que acreditar e no que não acreditar? A que grupo de energia pertencemos, e a que grupo deveríamos pertencer? Como descobrir isto? Durante o workshop serão realizadas algumas vivências com esta finalidade, tais como sincronicidade e ressonância morfogenética.



Workshop especial 3
Energia Cósmica: Inesgotável Medicina Natural

Conferencista: Francisco Ortiz
Local: Auditório do Hotel Lizon
Data: 15 de fevereiro – 18h00 às 20h00.
Valor único: R$ 50,00 – Para reserva, utilize o código WS3.
Temática: Deixem a luz entrar. O uso consciente da energia cósmica melhora a saúde, a sexualidade humana e a vida do planeta. As novas “tecnologias de luz” e o potencial de auto-cura restauram o equilíbrio energético e psíquico eliminando medos, ansiedades, angústias e depressão, males da nossa época. Cria a visão e as condições para uma vida plena, em que o progresso e a felicidade vêm juntos! Alguns temas a serem abordados no workshop são a origem e natureza da Energia Cósmica Universal, que se manifesta como energia vital e dá vida à vida, gerando saúde e transformando medo e violência em solidariedade e amor. Já a energia orgástica gera prazer e prosperidade, e a energia da criação pode curar nosso planeta, pois é a mesma que dá vida às estrelas, as galáxias e aos infinitos universos. Temos também a energia quântica, que é inesgotável e limpa, e gera a energia spin-quântica antigravitacional. Além da energia da complementaridade, que atrai as pessoas para relacionamentos, ações e empreendimentos, nos quais somam energias e provocam ressonância.



Inscrições para o evento

A taxa única para participar do período integral do XV Diálogo com o Universo é de R$ 100,00. Qualquer dúvida consulte nossa Central de Informações. Solicite sua inscrição indicando o código TI 01.



Hotéis Conveniados

Hotel Lizon (****) - Av. Sete de Setembro, 2246 e Hotel Itamaraty (**) - Avenida Presidente Affonso Camargo, 279

Reserva do hotel através de nossa Central de Informações.



Central de Informações
inscrições e reservas de hotel

Núcleo de Pesquisa Ufológica (NPU)
Rua Mariano Torres 792 – Curitiba (PR)
Fone (41) 3324-0805 e fone/fax (41) 3324-1003
E-mail: npubrasil@gmail.com
Caixa Postal 1366, CEP 80011-970 Curitiba (PR)
Ligue em horário comercial


Apoio

Instituto Wilson Picler (IWP)
Instituto Galileo Galilei (IGG)
Revista UFO
Mythos Editora